Audiência

Aneel é pressionada por Kátia Abreu para reduzir preço da conta de energia elétrica no Tocantins

Ela lembrou que o estado possui grandes hidrelétricas geradoras, mas ainda assim cobra uma das mais altas tarifas do país.

Por Redação 600
Comentários (0)

21/11/2019 08h33 - Atualizado há 8 meses
Kátia Abreu na audiência

Em audiência pública nesta quarta-feira (20), a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) cobrou da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) uma solução para o alto custo da energia elétrica no Tocantins. A parlamentar lembrou que o estado possui grandes hidrelétricas geradoras, mas ainda assim cobra uma das mais altas tarifas do país.

A senadora ponderou que, em parte, a tarifa se deve ao alto valor do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) praticado pelo estado. Mas a parlamentar cobrou uma compensação ao Tocantins pela grande quantidade de energia gerada.

Tenho dificuldade de explicar para os moradores do Tocantins por que produzimos tanta energia, temos cinco hidrelétricas, e ainda assim pagamos a energia mais cara do país proporcionalmente”, afirmou a senadora.

Durante audiência na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, Kátia Abreu pediu explicações ao superintendente da Aneel, Christiano Vieira da Silva, sobre o cálculo da tarifa feito pelas fornecedoras de energia.

Como o Tocantins pode receber em troca a grande quantidade de energia que produzimos? Como a Aneel pretende resolver esse, que é um problema de toda a região Norte, que tem grande extensão de terra e baixa densidade populacional?”, questionou.

Energia renovável

A audiência pública, conduzida por Kátia Abreu, debateu as políticas públicas de ciência, tecnologia e inovação para energias renováveis e biocombustíveis no Brasil.

A parlamentar, que é relatora da Proposta de Plano de Trabalho de Avaliação das Políticas Púbicas para Energias Renováveis e Biocombustível, disse que sua intenção é fechar uma proposta unificada de incentivo a todas as fontes renováveis, como uma proposta da comissão, e a partir daí estabelecer pontes de diálogo com o Governo Federal.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.