Avião da Malaysia Airlines com 295 pessoas cai na Ucrânia

Por Redação AF
Comentários (0)

17/07/2014 17h11 - Atualizado há 1 segundo
<span style="font-size:14px;">Um avi&atilde;o de passageiros da Malaysia Airlines com 295 pessoas caiu nesta quinta-feira (17) na Ucr&acirc;nia, na regi&atilde;o de fronteira com a R&uacute;ssia.<br /> <br /> O Minist&eacute;rio do Interior ucraniano atribuiu a queda da aeronave, um Boeing 777, a &quot;um m&iacute;ssil disparado do solo&quot;. O primeiro-ministro do pa&iacute;s, Arseni Yatseniuk, ordenou uma imediata investiga&ccedil;&atilde;o do que chamou de &quot;cat&aacute;strofe&quot;.<br /> <br /> O avi&atilde;o estava voando normalmente, sem problemas, at&eacute; desaparecer do radar, afirmou Dmytro Babeychuk, chefe do &oacute;rg&atilde;o respons&aacute;vel pelo espa&ccedil;o a&eacute;reo da Ucr&acirc;nia. &quot;O voo estava ocorrendo normalmente... N&atilde;o houve nenhuma palavra sobre qualquer problema da tripula&ccedil;&atilde;o&quot;, informou Babeychuk em entrevista coletiva.<br /> <br /> Cidad&atilde;os dos Estados Unidos, Holanda e Alemanha est&atilde;o entre as v&iacute;timas. Segundo o governo da Ucr&acirc;nia, todos a bordo morreram.<br /> <br /> O voo MH17 ia de Amsterd&atilde;, na Holanda, para Kuala Lumpur, na Mal&aacute;sia, e voava a 10 mil metros quando caiu. O voo teria dura&ccedil;&atilde;o de 11h55 minutos e percorreria uma dist&acirc;ncia de 10,2 mil quil&ocirc;metros.<br /> <img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/ng3457423.JPG" style="width: 500px; height: 374px;" /><br /> <br /> Oficiais de defesa da Ucr&acirc;nia disseram que o trabalho na regi&atilde;o de Donetsk, onde o avi&atilde;o caiu, &eacute; dif&iacute;cil em raz&atilde;o dos destro&ccedil;os espalhados por &aacute;reas extensas. As buscas tamb&eacute;m s&atilde;o dificultadas pela presen&ccedil;a de terroristas armados na regi&atilde;o.<br /> <br /> O governo russo entrou em contato com a Ucr&acirc;nia oferecendo ajuda nas investiga&ccedil;&otilde;es e tamb&eacute;m no resgate das v&iacute;timas.<br /> <br /> N&atilde;o est&aacute; claro que rela&ccedil;&atilde;o a queda do avi&atilde;o tem com o atual conflito entre for&ccedil;as ucranianas e for&ccedil;as separatistas pr&oacute;-R&uacute;ssia na regi&atilde;o.<br /> <br /> Horas antes, as autoridades ucranianas haviam acusado a R&uacute;ssia de ter abatido um de seus jatos militares -- Moscou negou.<br /> <br /> O Minist&eacute;rio da Defesa da Mal&aacute;sia divulgou que, at&eacute; o momento, n&atilde;o tem confirma&ccedil;&otilde;es de que o avi&atilde;o foi abatido e que est&aacute; investigando o acidente.<br /> <br /> Em comunicado, a Associa&ccedil;&atilde;o Internacional de Transporte A&eacute;reo (Iata, na sigla em ingl&ecirc;s) afirmou que o avi&atilde;o estava voando em espa&ccedil;o a&eacute;reo aberto.&nbsp; &quot;Com base na informa&ccedil;&atilde;o dispon&iacute;vel no momento, acredita-se que o avi&atilde;o atravessava espa&ccedil;o a&eacute;reo que n&atilde;o era sujeito a restri&ccedil;&otilde;es&quot;, informou.<br /> <br /> A Malaysia Airlines afirmou em sua conta no Twitter que perdeu contato com o MH17 &agrave;s 11h15 (hor&aacute;rio de Bras&iacute;lia), e que sua &uacute;ltima posi&ccedil;&atilde;o foi registrada no espa&ccedil;o a&eacute;reo ucraniano, a 30 km de Tamak.<br /> <br /> A Boeing informou que est&aacute; ciente dos relatos da imprensa e que est&aacute; coletando informa&ccedil;&atilde;o. &quot;Nossos pensamentos e ora&ccedil;&otilde;es est&atilde;o com aqueles a bordo do avi&atilde;o da Malaysia Airlines perdido sobre o espa&ccedil;o a&eacute;reo ucraniano, bem como com suas fam&iacute;lias e seus entes queridos&quot;, disse nota da empresa.<br /> <br /> &quot;Estou chocado por relatos de que um avi&atilde;o da MH caiu. Estamos lan&ccedil;ando uma investiga&ccedil;&atilde;o imediata&quot;, disse o premi&ecirc; da Mal&aacute;sia, Najib Razak, em sua conta no Twitter.&nbsp;<br /> <br /> O ministro da Justi&ccedil;a e Defesa holand&ecirc;s, Ivo Opstelten, disse em comunicado que est&aacute; &quot;profundamente chocado&quot; com o acidente, confirmando que havia muitos cidad&atilde;os do pa&iacute;s no voo. &quot;Meus pensamentos est&atilde;o com as fam&iacute;lias e amigos daqueles que estavam no avi&atilde;o&quot;, escreveu.<br /> <br /> Opstelten destacou que o governo holand&ecirc;s criar&aacute; um n&uacute;mero de emerg&ecirc;ncia para que as fam&iacute;lias das v&iacute;timas possam buscar informa&ccedil;&otilde;es.<br /> <br /> <u><strong>Ucr&acirc;nia, R&uacute;ssia e rebeldes negam ter abatido avi&atilde;o</strong></u><br /> <br /> Rebeldes separatistas da regi&atilde;o leste da Ucr&acirc;nia, onde o avi&atilde;o caiu, negaram qualquer envolvimento. &quot;N&oacute;s simplesmente n&atilde;o temos esse sistema de defesa a&eacute;rea&quot;, de acordo com a ag&ecirc;ncia Interfax.<br /> <br /> Al&eacute;m disso, o governo da Rep&uacute;blica Autoproclamada de Donetsk, que controla a &aacute;rea onde ocorreu o acidente, afirmou que passar&aacute; as caixas-pretas do avi&atilde;o para autoridades russas. &quot;Em Moscou, eles t&ecirc;m especialistas de alta compet&ecirc;ncia que poder&atilde;o determinar a causa do acidente, apesar de parecer &oacute;bvia em todo o caso&quot;, disse o vice-premi&ecirc; Andrey Purgin.<br /> <br /> O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, tamb&eacute;m negou que o Ex&eacute;rcito do pa&iacute;s tenha participa&ccedil;&atilde;o. &quot;N&oacute;s n&atilde;o descartamos que esse avi&atilde;o tenha sido derrubado e refor&ccedil;amos que as For&ccedil;as Armadas da Ucr&acirc;nia n&atilde;o agiram contra alvos a&eacute;reos&quot;.<br /> <br /> &quot;Este &eacute; o terceiro evento tr&aacute;gico nos &uacute;ltimos dias, quando aeronaves militares ucranianas An-26 e Su-25 foram derrubadas em territ&oacute;rio russo&quot;, diz a declara&ccedil;&atilde;o do presidente.<br /> <br /> Segundo Svatoslav Tsegolko, assessor do presidente da Ucr&acirc;nia, Poroshenko acredita que um &quot;ato terrorista&quot; foi a causa da queda do avi&atilde;o da Mal&aacute;sia. &quot;Poroshenko cr&ecirc; que esse avi&atilde;o foi abatido: n&atilde;o &eacute; um incidente, n&atilde;o &eacute; uma cat&aacute;strofe, mas um ato terrorista&quot;, disse Tsegolko, segundo a Reuters.<br /> <br /> O porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, afirmou que &eacute; &quot;estupidez&quot; acusar o pa&iacute;s de envolvimento no acidente com o MH17. A suspeita havia sido levantada logo ap&oacute;s o acidente pelo ministro das Rela&ccedil;&otilde;es Exteriores de Kiev, Pavlo Klimkin, que alegou &quot;ter evid&ecirc;ncias&quot; sobre a participa&ccedil;&atilde;o russa na queda da aeronave.<br /> <br /> <u><strong>Putin conversou com Obama sobre acidente</strong></u><br /> <br /> Ag&ecirc;ncias russas de not&iacute;cias divulgaram hoje que o presidente do pa&iacute;s, Vladimir Putin, conversou com o presidente dos EUA, Barack Obama, por telefone, sobre a queda do MH17 na Ucr&acirc;nia. Putin teria informado Obama do acidente imediatamente ap&oacute;s o ocorrido, mas at&eacute; o momento nem o Kremlin nem a Casa Branca afirmaram que o Boeing 777 foi derrubado.&nbsp;<br /> <br /> O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que designou uma equipe direta de seguran&ccedil;a para ajudar o governo ucraniano, oferecendo todo tipo de assist&ecirc;ncia aos passageiros e a suas fam&iacute;lias. &quot;&Eacute; uma prioridade descobrir se h&aacute; norte-americanos entre as v&iacute;timas.&quot;<br /> <br /> <u><strong>Alvo seria militar, e m&iacute;ssil segue calor</strong></u><br /> <br /> O governo ucraniano afirma que um m&iacute;ssil lan&ccedil;ado do solo teria derrubado o avi&atilde;o da Malaysia Airlines. Para o especialista em seguran&ccedil;a internacional, Gunther Rudzit, isso pode ter acontecido pela a&ccedil;&atilde;o de rebeldes ucranianos, que possuem m&iacute;sseis terra-ar fornecidos pela R&uacute;ssia.<br /> <br /> &quot;Os rebeldes j&aacute; vinham alardeando que teriam derrubado dois ca&ccedil;as da Ucr&acirc;nia. Um avi&atilde;o de transporte e helic&oacute;pteros tamb&eacute;m teriam sido derrubado&quot;, diz Rudzit. Por causa desses ind&iacute;cios, ele acredita que o alvo do m&iacute;ssil n&atilde;o teria sido o avi&atilde;o de passageiros, e sim um avi&atilde;o militar.<br /> <br /> O avi&atilde;o ucraniano que seria o suposto alvo teria conseguido despistar o m&iacute;ssil, que pode ter &quot;enquadrado o avi&atilde;o [da Malaysia Airlines] em altitude maior&quot;, explica o especialista. &quot;Esse m&iacute;ssil segue calor&quot;, completa. Os avi&otilde;es de passageiros voam em altitude mais elevada que aeronaves militares, esclarece Rudzit.<br /> <br /> <u><strong>Rebeldes j&aacute; abateram avi&otilde;es na regi&atilde;o</strong></u><br /> <br /> Separatistas pr&oacute;-R&uacute;ssia do leste da Ucr&acirc;nia j&aacute; derrubaram ao menos dez aeronaves na regi&atilde;o onde um Boeing 777 da Malaysia Airlines caiu.<br /> <br /> A regi&atilde;o &eacute; palco de conflitos entre o Ex&eacute;rcito ucraniano e os rebeldes h&aacute; meses, desde que o ex-presidente do pa&iacute;s Viktor Yanukovich foi deposto em fevereiro deste ano.<br /> <br /> As aeronaves derrubadas pelos rebeldes, que usaram lan&ccedil;a m&iacute;sseis port&aacute;teis, voavam a baixa altitude, diferente do avi&atilde;o da Malaysian, que estava a 10 mil metros de altura. A lista inclui helic&oacute;pteros militares, avi&otilde;es de transporte do Ex&eacute;rcito e ca&ccedil;as da for&ccedil;a a&eacute;rea.<br /> <br /> Fontes do Minist&eacute;rio do Interior da Ucr&acirc;nia afirmaram que o avi&atilde;o possivelmente foi derrubado por um sistema de m&iacute;sseis conhecido como &#39;buk&#39;, disparado de caminh&otilde;es militares.<br /> <br /> A ag&ecirc;ncia AP informou que rep&oacute;rteres avistaram um ve&iacute;culo lan&ccedil;a-foguetes na cidade de Snizhne, controlada por rebeldes, na ter&ccedil;a-feira. Horas antes da trag&eacute;dia de hoje o governo da Ucr&acirc;nia havia acusado a for&ccedil;a a&eacute;rea da R&uacute;ssia de ter abatido uma de suas aeronaves durante uma miss&atilde;o em territ&oacute;rio ucraniano. Moscou negou a informa&ccedil;&atilde;o.<br /> <br /> <u><strong>Identifica&ccedil;&atilde;o de passageiros</strong></u><br /> <br /> Cidad&atilde;os dos Estados Unidos, da Holanda e da Alemanha est&atilde;o entre as v&iacute;timas da queda do voo MH17, da Malaysia Airlines. Rep&oacute;rteres que est&atilde;o no local da trag&eacute;dia disseram ter encontrado passaportes de todas essas nacionalidades.<br /> <br /> O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Jen Psaki, por&eacute;m, afirmou que &quot;n&atilde;o se pode confirmar ainda se haviam cidad&atilde;os americanos a bordo&quot;. Ele afirmou que o governo est&aacute; trabalhando com o as autoridades ucranianas para conseguir mais informa&ccedil;&otilde;es.<br /> <br /> A ag&ecirc;ncia russa Live News divulgou uma lista com os nomes de tr&ecirc;s supostos passageiros do voo: Sophie Charlotte Van Der Meer, Tomas Van Keulen Allar e Jijar Singh Sanjid Singh.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

De Figueirópolis

Professor do Tocantins vence prêmio nacional com projeto sobre esportes

O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho dos professores que contribuem para a qualidade da educação básica.

Investigação

PF prende médico no Tocantins em operação que investiga corrupção na Saúde

Mandados também estão sendo cumpridos em São Luís (MA), Imperatriz (MA), Parauapebas (PA), Brasília (DF) e Goiânia (GO).

Estado

Bunge Açúcar e Bioenergia abre vagas para jovens engenheiros no Tocantins

As inscrições vão até o dia 9 de novembro.

Nesta quinta, 18

Vagas de emprego para manicure, mecânico, porteiro, zelador e vendedor

As vagas são para todos os níveis de escolaridade e estão distribuídas em nove cidades do Estado.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.