Bancários do TO entram em greve por tempo indeterminado a partir desta quinta

Por Redação AF
Comentários (0)

18/09/2013 13h39 - Atualizado há 1 semana
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;">Banc&aacute;rios do estado do Tocantins optaram por aderir &agrave; greve nacional prevista para a pr&oacute;xima quinta-feira, dia 19. O Sindicato da categoria (SINTEC) reuniu a classe, em Assembleia Geral Extraordin&aacute;ria, nos munic&iacute;pios de Aragua&iacute;na e Gurupi onde foi discutido sobre a campanha salarial e votado sobre a greve.<br /> <br /> Durante a ocasi&atilde;o, 93,1% dos banc&aacute;rios votaram a favor da greve. A categoria reivindica um reajuste salarial de 11,9%, que corresponde aos 6,9% da infla&ccedil;&atilde;o acumulada mais 5% de produtividade.<br /> <br /> Segundo o SINTEC, para chegar &agrave; decis&atilde;o sobre a paralisa&ccedil;&atilde;o houve vota&ccedil;&atilde;o nas cidades de Palmas, Aragua&iacute;na e Gurupi, onde h&aacute; mais banc&aacute;rios no estado, totalizando 86% a favor a ades&atilde;o a greve nacional.<br /> <br /> &ldquo;Entraremos em greve para mostrar a insatisfa&ccedil;&atilde;o da categoria pela proposta apresentada pela FENABAN (Federa&ccedil;&atilde;o Nacional dos Bancos) de reajuste de 6,1%, o que representa muito pouco diante das cobran&ccedil;as enfrentadas pelos banc&aacute;rios no dia-a-dia e principalmente diante dos lucros exorbitantes dos bancos p&uacute;blicos e privados&rdquo;, informou o presidente do Sindicato dos Banc&aacute;rios do Tocantins, Crispim Batista Filho.<br /> <br /> Segundo o presidente do Sindicato, a greve representa uma maneira de conseguir uma negocia&ccedil;&atilde;o mais justa, uma proposta melhor. Para exemplificar usou a negocia&ccedil;&atilde;o dos Correios com seus empregados. <em>&ldquo;Os Correios, que &eacute; institui&ccedil;&atilde;o do governo, teve um reajuste salarial de 8%, enquanto os bancos, sendo v&aacute;rios deles tamb&eacute;m p&uacute;blicos como a Caixa Econ&ocirc;mica Federal e Banco do Brasil, que d&atilde;o mais lucros ainda, teve uma proposta inferior. Isso &eacute; uma prova de que os banc&aacute;rios n&atilde;o merecem o reajuste oferecido e que precisamos &eacute; de uma negocia&ccedil;&atilde;o justa&rdquo;, </em>declarou Crispim.<br /> <br /> A greve dos banc&aacute;rios &eacute; por tempo indeterminado e s&oacute; ser&aacute; encerrada quando os banqueiros oferecerem melhores propostas e se posteriormente forem aceitas pela categoria.<br /> <br /> As principais reivindica&ccedil;&otilde;es da classe &eacute; por um reajuste salarial de 11,9%, sal&aacute;rio refei&ccedil;&atilde;o, cesta alimenta&ccedil;&atilde;o, 13&ordm; sal&aacute;rio refei&ccedil;&atilde;o e 13&ordf; cesta alimenta&ccedil;&atilde;o de R$ 680,00 cada, fim da rotatividade, da terceiriza&ccedil;&atilde;o, ass&eacute;dio moral e das metas abusivas, PLR - Participa&ccedil;&atilde;o nos Lucros ou Resultados equivalente a 15% do lucro l&iacute;quido do exerc&iacute;cio de 2013, garantindo-se, no m&iacute;nimo, tr&ecirc;s remunera&ccedil;&otilde;es brutas mais valor fixo de R$ 6.200,00 a todos os empregados.</span></div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.