Copa começa hoje em meio a expectativas e manifestações

Por Redação AF
Comentários (0)

12/06/2014 09h04 - Atualizado há 2 semanas
<span style="font-size:14px;">Depois de 64 anos, o Brasil volta a sediar a Copa do Mundo. A partida de abertura ser&aacute; realizada hoje (12) na Arena Corinthians, em S&atilde;o Paulo, entre as sele&ccedil;&otilde;es do Brasil e da Cro&aacute;cia. O jogo est&aacute; marcado para as 17h (hor&aacute;rio de Bras&iacute;lia). Ao todo, 64 partidas ser&atilde;o disputadas ao longo da competi&ccedil;&atilde;o, que segue at&eacute; o dia 13 de julho.<br /> <br /> Para chegar aos est&aacute;dios, os torcedores dever&atilde;o estar atentos &agrave;s diversas mudan&ccedil;as no tr&acirc;nsito. Em cada uma das 12 cidades-sede foi adotado um esquema diferente para uso do transporte p&uacute;blico e estacionamento de carros particulares.<br /> <br /> Com as diversas mudan&ccedil;as no entorno das arenas, entidades que defendem os direitos de quem tem mobilidade reduzida est&atilde;o preocupadas com o acesso aos locais dos jogos. Chegar ao est&aacute;dio com facilidade e seguran&ccedil;a pode ser um desafio para quem quiser acompanhar os jogos do Mundial.<br /> <br /> Cada cidade definiu um esquema pr&oacute;prio de feriados e hor&aacute;rios de trabalho durante os dias de jogos. De acordo com a Lei Geral da Copa, os Estados, o Distrito Federal e os munic&iacute;pios que sediar&atilde;o os eventos podem declarar feriado ou ponto facultativo nos dias das partidas. H&aacute; ainda aquelas cidades que optaram por mudar o hor&aacute;rio do expediente em dias de jogos.<br /> <br /> Dentro do est&aacute;dio, o torcedor deve estar atento &agrave;s diversas restri&ccedil;&otilde;es impostas pela Federa&ccedil;&atilde;o Internacional de Futebol (Fifa). Nas arenas n&atilde;o ser&aacute; poss&iacute;vel entrar com tablets nem com mochilas ou sacolas grandes. Durante as partidas do Mundial, tamb&eacute;m n&atilde;o ser&aacute; permitida a entrada com instrumentos que produzam som excessivo, tais como megafones, sirenes, vuvuzelas e, inclusive, a caxirola.<br /> <br /> Cerca de 3,7 milh&otilde;es de turistas &ndash; entre eles, 600 mil estrangeiros &ndash; s&atilde;o esperados no Brasil durante o per&iacute;odo do evento. A estimativa do Minist&eacute;rio do Turismo &eacute; que eles deixem em territ&oacute;rio nacional cerca de R$ 6 bilh&otilde;es. Para conhecer melhor o pa&iacute;s, o turista pode usar aplicativos para smartphones que trazem dicas de passeios e roteiros.<br /> <br /> A Copa do Mundo mexeu ainda com os calend&aacute;rios escolares. Em pelo menos sete das 12 cidades-sede, o recesso do meio do ano foi antecipado para junho, e os estudantes ter&atilde;o 30 dias de folga.<br /> <br /> Para o Mundial, o pa&iacute;s tamb&eacute;m se preparou em termos de seguran&ccedil;a. Foram montados centros integrados nacionais e regionais para monitorar a situa&ccedil;&atilde;o nas cidades-sede. Com investimento de R$ 1,9 bilh&atilde;o, a opera&ccedil;&atilde;o de seguran&ccedil;a e defesa conta com 157 mil agentes da seguran&ccedil;a p&uacute;blica e das For&ccedil;as Armadas. Policiais estrangeiros tamb&eacute;m estar&atilde;o no Brasil. Eles n&atilde;o ter&atilde;o poder de pol&iacute;cia, mas poder&atilde;o auxiliar os cidad&atilde;os de seus pa&iacute;ses em caso de necessidade. Al&eacute;m de agentes dos 31 pa&iacute;ses que v&atilde;o participar do Mundial, ser&atilde;o enviados policiais de mais 15 pa&iacute;ses convidados.<br /> <br /> O Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de vai monitorar situa&ccedil;&otilde;es de emerg&ecirc;ncia p&uacute;blica registradas durante a Copa por meio de um centro nacional de opera&ccedil;&otilde;es com base em Bras&iacute;lia. O Centro Integrado de Opera&ccedil;&otilde;es Conjuntas da Sa&uacute;de (Ciocs) foi ativado no dia 28 de maio e segue em funcionamento at&eacute; 23 de julho. Nas cidades-sede, cerca de 10 mil profissionais de sa&uacute;de da rede p&uacute;blica, capacitados pelo minist&eacute;rio, estar&atilde;o atuando durante o Mundial.<br /> <br /> <u><strong>Insatisfa&ccedil;&atilde;o</strong></u><br /> <br /> Apesar do clima de festa em alguns lugares, o sentimento dos brasileiros est&aacute; dividido quando o assunto &eacute; Copa do Mundo. Muitos sentem uma mistura de ansiedade e anima&ccedil;&atilde;o com a proximidade dos jogos e com o evento no territ&oacute;rio brasileiro. Entretanto, a indigna&ccedil;&atilde;o e a insatisfa&ccedil;&atilde;o com os gastos feitos pelo governo para a realiza&ccedil;&atilde;o do evento n&atilde;o s&atilde;o ignoradas.<br /> <br /> Para o per&iacute;odo do Mundial, movimentos sociais planejam protestos e mobiliza&ccedil;&otilde;es.<br /> <br /> Eles criticam os gastos com a constru&ccedil;&atilde;o e reforma de est&aacute;dios, a isen&ccedil;&atilde;o fiscal concedida &agrave; Fifa e demais empresas ligadas &agrave; promo&ccedil;&atilde;o do Mundial, os despejos e as remo&ccedil;&otilde;es decorrentes de obras para a Copa, a proibi&ccedil;&atilde;o do trabalho de ambulantes nas proximidades dos est&aacute;dios, o aumento da explora&ccedil;&atilde;o sexual de crian&ccedil;as e adolescentes (que estar&atilde;o mais vulner&aacute;veis durante o evento devido ao per&iacute;odo de f&eacute;rias) e o processo de expuls&atilde;o das popula&ccedil;&otilde;es de rua de &aacute;reas nobres das cidades.<br /> <br /> Em documento, a Articula&ccedil;&atilde;o Nacional dos Comit&ecirc;s Populares da Copa (Ancop) convoca a popula&ccedil;&atilde;o a se manifestar durante os jogos do campeonato: &ldquo;Estar nas ruas durante a Copa do Mundo &eacute; um ato de fortalecimento da democracia e de um novo modelo de pa&iacute;s que avance na participa&ccedil;&atilde;o direta do povo e na constru&ccedil;&atilde;o de pol&iacute;ticas p&uacute;blicas efetivas em favor da justi&ccedil;a e igualdade social&rdquo;.<br /> <br /> Nos &uacute;ltimos meses, esses movimentos intensificaram a agenda de protestos e fizeram manifesta&ccedil;&otilde;es nas cidades-sede, cobrando dos governos que priorizem o investimento em pol&iacute;ticas sociais e deem respostas &agrave;s den&uacute;ncias de viola&ccedil;&atilde;o de direitos humanos. Para o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, entretanto, o clima de festa durante o campeonato reduzir&aacute; as manifesta&ccedil;&otilde;es no pa&iacute;s.<br /> <br /> O governo federal defende que a Copa deixar&aacute; legados, como a melhoria na infraestrutura das cidades e o incremento no turismo, e trar&aacute; ganhos econ&ocirc;micos para o Brasil. Segundo o Minist&eacute;rio do Turismo, na Copa das Confedera&ccedil;&otilde;es, em junho do ano passado, os estrangeiros gastaram, em m&eacute;dia, R$ 4.854 durante os 14,4 dias em que permaneceram no Brasil.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

Fato Inusitado

Prefeito diz que se autonomeou secretário de Saúde 'prezando pela economia'

Wesley Camilo disse ainda que não receberá salário pela nova função.

Problemas de saúde

Ex-governador Siqueira Campos deixa UTI e pode retornar ao Tocantins em 10 dias

Ele estava internado em São Paulo para o tratamento de uma pneumonia desde o dia 4 deste mês.

Fim de ano

Mais de 60% das empresas de Palmas devem abrir vagas de emprego temporário

A maior parte das vagas será para empresas do segmento de vestuário (28,3%).

LDO

Governo do Tocantins espera arrecadar R$ 10,2 bilhões nos próximos três anos

Os demonstrativos das metas fiscais para 2019-2021 foram apresentados na Assembleia Legislativa.

Brasil

Carteiro amigo de cachorros faz sucesso com selfies na internet e conta segredo

Ele começou postando fotos e vídeos curtos e atualmente tem mais de 45 mil seguidores no Instagram.

Para 2019

Deputados e senadores do Tocantins têm R$ 15,4 milhões de emendas individuais

As emendas devem priorizar saúde, educação e segurança pública.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.