Dê ZERO “pá nóis”! Matamos o que mais deveríamos valorizar

Por Redação AF
Comentários (0)

29/11/2013 15h28 - Atualizado há 1 mês
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;">A escola p&uacute;blica nacional j&aacute; morreu e n&atilde;o est&aacute; cheirando bem. Precisamos remover a podrid&atilde;o, desinfetar a sala com &aacute;gua sanit&aacute;ria, arruda, sal grosso e recome&ccedil;ar do zero, com mais seriedade, disciplina e respeito pelos educadores e pelas pessoas que dependem da educa&ccedil;&atilde;o gratuita para terem qualquer chance de sobreviv&ecirc;ncia digna na atual sociedade globalizada.<br /> <br /> J&aacute; falaram por a&iacute; que somos o pa&iacute;s do fingimento. Concordo: o governo finge que se importa, professores fingem que ensinam, alunos fingem que aprendem, pais fingem que acompanham, &oacute;rg&atilde;os fingem que fiscalizam e todo mundo finge que est&aacute; tudo bem. E no final das contas, gravamos v&iacute;deos bonitinhos para promo&ccedil;&atilde;o do estado com crian&ccedil;as comportadas e felizes, simulando que gostam de livros, nadando em piscinas limpinhas e comendo carne, arroz e alface fresquinha em novos refeit&oacute;rios.<br /> <br /> Sabemos que a realidade &eacute; outra, que a escola &eacute; ca&oacute;tica, com estrutura deficiente, alunos indisciplinados, professores explorados, alguns despreparados e, salvo raras exce&ccedil;&otilde;es, que s&atilde;o m&eacute;rito exclusivo de docentes e gestores excepcionais que operam verdadeiros milagres em sala de aula, a escola atual &eacute; uma institui&ccedil;&atilde;o fracassada, motivo de vergonha para qualquer brasileiro coerente. Falta verba, falta organiza&ccedil;&atilde;o, falta valoriza&ccedil;&atilde;o do professor e falta uma cultura geral da popula&ccedil;&atilde;o brasileira de cobran&ccedil;a e fomento de uma educa&ccedil;&atilde;o capaz de proporcionar desenvolvimento profissional, cidad&atilde;o, cr&iacute;tico e humanizado. E este &eacute; o &uacute;nico caminho vi&aacute;vel para o tal &ldquo;mundo melhor&rdquo; que todos desejam.<br /> <br /> Para resolver este imenso problema seria necess&aacute;rio muito investimento, disciplina e gente capacitada, desvinculada de conex&otilde;es pol&iacute;ticas, gente de pouca conversinha bonita e muita a&ccedil;&atilde;o pr&aacute;tica, pessoas que conhe&ccedil;am a situa&ccedil;&atilde;o atual e que sejam conscientes da import&acirc;ncia da educa&ccedil;&atilde;o p&uacute;blica.<br /> <br /> &Eacute; preciso haver uma penalidade severa para o prefeito e/ou governador que n&atilde;o manter suas escolas devidamente equipadas e prontas para atender seus alunos. A escola atual &eacute; apenas um dep&oacute;sito de pessoas. &Eacute; pouco significativa, pouco coerente e faz com que grande parte dos alunos n&atilde;o apenas deixem de desenvolver sua capacidade intelectual, mas que criem uma verdadeira avers&atilde;o &agrave; leitura e aos estudos. A cultura popularesca e a m&iacute;dia incentivam aliena&ccedil;&atilde;o, consumismo, sexismo e h&aacute;bitos negativos. A escola atual, ou melhor, o sistema atual, contribui com este &ldquo;emburrecimento&rdquo; e degrada&ccedil;&atilde;o da sociedade.<br /> <br /> Escola n&atilde;o pode ter sua verba relacionada com os alunos que aprova e/ou mant&eacute;m. Quem n&atilde;o demonstra resultados adequados tem que ser reprovado. Os discursadores dizem &ldquo;Ahh, mas se reprovar eles desistem, temos que recuperar o aluno&rdquo;. No fundo apenas querem n&uacute;meros e n&atilde;o educa&ccedil;&atilde;o eficiente, apenas querem cabe&ccedil;as dentro da caixa para demonstrarem falsamente que a situa&ccedil;&atilde;o est&aacute; melhorando. Rodem os incapazes, criem um sistema de acompanhamento para os indisciplinados, responsabilizem os pais que n&atilde;o cooperam, parem com o faz de conta. Penalizem o erro e n&atilde;o distribuam certificados para quem n&atilde;o merece.<br /> <br /> O professor n&atilde;o pode aprovar quem n&atilde;o est&aacute; capacitado, nem assistir indignado ao seu aluno depois ser aprovado pelo conselho de classe e muito menos ser induzido e/ou punido caso reprove os maus estudantes. O sistema est&aacute; nivelando a escola para ajudar um pouquinho os alunos ruins, e justamente por estes discursos &ldquo;coitadistas&rdquo; a escola vem tornando-se muito pior para todos.<br /> <br /> Professores precisam ganhar mais e ficar menos tempo em sala de aula.<br /> <br /> A valoriza&ccedil;&atilde;o do docente n&atilde;o precisa de pr&ecirc;mios de reconhecimento ou campanhas motivacionais na TV. Passa exclusivamente por um atrativo sal&aacute;rio. Os pa&iacute;ses que fizeram isso colheram seus frutos. A profiss&atilde;o torna-se interessante, pessoas mais capacitadas investir&atilde;o na carreira, a qualifica&ccedil;&atilde;o acontece espontaneamente e a qualidade da educa&ccedil;&atilde;o sobe.&nbsp; E, tamb&eacute;m, existe uma cultura hip&oacute;crita consumista no Brasil que valoriza as pessoas principalmente pelo dinheiro que elas possuem e ostentam. S&oacute; respeitamos quem ganha bem, esta &eacute; uma dura verdade e o professor precisa ser um pilar da sociedade. Um professor jamais deveria ganhar menos do que um vereador de sua cidade.<br /> <br /> Uma menor carga hor&aacute;ria dentro da sala de aula tamb&eacute;m &eacute; necess&aacute;ria. Existem v&aacute;rias reportagens recentes sobre o grande n&uacute;mero de docentes com atestados m&eacute;dicos, a maioria porque a escola atual adoece os professores. &Eacute; muita aula, muita press&atilde;o, alunos indisciplinados... Os docentes cobrem jornadas absurdas e mal tem tempo de preparar boas aulas, corrigir atividades e qualificar-se. N&atilde;o &eacute; diminuir o trabalho, mas torn&aacute;-lo mais eficiente. Professor com muitas aulas quase n&atilde;o passa produ&ccedil;&atilde;o textual para ter menos material para corrigir em casa, evita realizar grandes projetos com seus alunos, evita provas discursivas, incentiva menos a leitura e a escrita. Tempo de estudo, de pesquisa e de prepara&ccedil;&atilde;o s&atilde;o vitais para que o docente ministre boas aulas.<br /> <br /> Mas claro, n&atilde;o &eacute; chegar e aumentar o sal&aacute;rio de todos numa canetada. &Eacute; aumentar o sal&aacute;rio dos bons, dos que est&atilde;o preparados para fazer a transforma&ccedil;&atilde;o real e que agem com responsabilidade. Seu trabalho deve ser acompanhado, mensurado. Ele deve, por exemplo, explicar, como que alunos aprovados por ele tiraram notas baixas nas quest&otilde;es relativas a sua mat&eacute;ria no ENEM. Como aprovou se n&atilde;o tinham condi&ccedil;&atilde;o de passar? O sistema precisa ser mais r&iacute;gido e s&eacute;rio em todos os sentidos. Todos querem ganhar bem, mas nem todos querem assumir sua parte. Tem professor que discursa muito, mas n&atilde;o age como deveria. Por exemplo, existe professor de literatura que n&atilde;o gosta de ler. Como este indiv&iacute;duo vai estimular a leitura? O sistema falido &eacute; confort&aacute;vel para os professores acomodados. Os problemas da escola permitem que o despreparo e/ou a pregui&ccedil;a de alguns passem desapercebidos.<br /> <br /> Professores tamb&eacute;m precisariam passar por avalia&ccedil;&atilde;o psicol&oacute;gica, alguns n&atilde;o t&ecirc;m estabilidade emocional para estar numa sala de aula e acabam descontando suas frustra&ccedil;&otilde;es nos estudantes.<br /> <br /> Outra quest&atilde;o importante &eacute; sobre os gestores. Diretores, orientadores e administrativos tem de ser profissionais preparados, experientes e n&atilde;o simples indica&ccedil;&otilde;es pol&iacute;ticas que destroem qualquer ambiente ou trabalho s&eacute;rio que esteja sendo desenvolvido.<br /> <br /> Um excelente sal&aacute;rio, estrutura adequada, diretoria competente, menos carga-hor&aacute;ria em sala de aula, menos politicagens, liberdade para trabalhar e reprovar, prote&ccedil;&atilde;o contra alunos indisciplinados e seus pais, avalia&ccedil;&atilde;o constante de sua pr&aacute;tica em sala de aula e cobran&ccedil;a por resultados.<br /> Assim, talvez, um dia, consigamos nos orgulhar de nossa escola.<br /> ___________________________________</span><br /> <span style="font-size:14px;">Marcelo Trilha Muniz</span><br /> <a href="http://marcelotrilha.blogspot.com.br/" target="_blank"><span style="font-size:14px;">http://marcelotrilha.blogspot.com.br/</span></a></div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

De Figueirópolis

Professor do Tocantins vence prêmio nacional com projeto sobre esportes

O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho dos professores que contribuem para a qualidade da educação básica.

Investigação

PF prende médico no Tocantins em operação que investiga corrupção na Saúde

Mandados também estão sendo cumpridos em São Luís (MA), Imperatriz (MA), Parauapebas (PA), Brasília (DF) e Goiânia (GO).

Estado

Bunge Açúcar e Bioenergia abre vagas para jovens engenheiros no Tocantins

As inscrições vão até o dia 9 de novembro.

Nesta quinta, 18

Vagas de emprego para manicure, mecânico, porteiro, zelador e vendedor

As vagas são para todos os níveis de escolaridade e estão distribuídas em nove cidades do Estado.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.