Deputados, CUT e Sintet cobram agilidade na apuração da morte do professor Fabriciano Borges em Araguaína

Por Redação AF
Comentários (0)

06/12/2012 09h36 - Atualizado há 1 mês
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;">Os deputados estaduais petistas Am&aacute;lia Santana e Z&eacute; Roberto, acompanhados do presidente da CUT &ndash; Central &Uacute;nica dos Trabalhadores e do Sintet &ndash; Sindicato dos Trabalhadores na Educa&ccedil;&atilde;o do Tocantins, Jos&eacute; Roque Santiago, participaram na tarde desta quarta-feira, 5, de uma reuni&atilde;o com o secret&aacute;rio Estadual de Seguran&ccedil;a P&uacute;blica, Jo&atilde;o Fonseca Coelho.<br /> <br /> Na pauta, os deputados pediram ao Secret&aacute;rio agilidade e empenho para que o inqu&eacute;rito sobre a morte do professor Fabriciano Correia Borges seja logo finalizado. <em>&quot;Est&aacute; encerrando o prazo para conclus&atilde;o do inqu&eacute;rito e viemos at&eacute; aqui externar nossa preocupa&ccedil;&atilde;o e solicitar o empenho do Secret&aacute;rio e de sua equipe para este caso seja solucionado e os culpados punidos&quot;</em>, disse o Deputado Z&eacute; Roberto.<br /> <br /> <em>&quot;O companheiro Fabriciano era um homem de luta e muito ativo na luta dos trabalhadores na educa&ccedil;&atilde;o&quot;</em>, frisou a deputada Am&aacute;lia Santana.<br /> <br /> O presidente do Sintet, Jos&eacute; Roque Santiago, informou que amanh&atilde; estar&aacute; em Aragua&iacute;na para acompanhar as investiga&ccedil;&otilde;es. <em>&quot;Estamos preocupados e queremos saber, principalmente qual o tipo de crime, para que possamos ficar atentos. Fabriciano era um companheiro atuante e que fazia o enfrentamento pol&iacute;tico para garantir os direitos dos trabalhadores na educa&ccedil;&atilde;o e esse crime n&atilde;o pode ficar impune&quot;.</em><br /> <br /> O secret&aacute;rio Jo&atilde;o Fonseca garantiu empenho e agilidade das investiga&ccedil;&otilde;es. <em>&quot;&Agrave;s vezes a conclus&atilde;o de um inqu&eacute;rito depende de algum detalhe, mas tenho certeza que nossa equipe est&aacute; empenhada para solucionar esse caso que chocou a sociedade araguainense&quot;.</em><br /> <br /> <u><strong>Assassinato</strong></u><br /> <br /> Fabriciano Correia Borges, tinha 39 anos e foi encontrado morto em sua resid&ecirc;ncia no dia 8 de novembro, em Aragua&iacute;na. Natural de Floriano (PI), Fabriciano era professor das redes p&uacute;blica municipal e estadual, diretor de Sa&uacute;de do Trabalhador do SINTET central, presidente do SINTET Regional de Aragua&iacute;na, conselheiro municipal da Educa&ccedil;&atilde;o de Aragua&iacute;na, diretor da UNCME- Uni&atilde;o Nacional dos Conselhos Municipais de Educa&ccedil;&atilde;o, conselheiro do FUNDEB e membro da Executiva Municipal e Estadual do Partido dos Trabalhadores.</span></div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.