Deputados devem instalar hoje CPI do Igeprev; grande expectativa está em torno da convocação de Eduardo Siqueira

Por Redação AF
Comentários (0)

21/05/2014 08h03 - Atualizado há 1 mês
<span style="font-size:14px;">Deve ser iniciada esta semana a investiga&ccedil;&atilde;o sobre o rombo milion&aacute;rio nas contas do instituto que assegura a aposentadoria dos servidores do Tocantins, o Igeprev. A expectativa &eacute; que a Comiss&atilde;o Parlamentar de Inqu&eacute;rito (CPI), seja instalada hoje (21) na Assembleia Legislativa, o que precisaria de pelo menos tr&ecirc;s dos cinco membros.<br /> <br /> A comiss&atilde;o &eacute; formada pelos deputados Carl&atilde;o da Saneatins (PSDB), Stalin Bucar (SD) e Wanderlei Barbosa (SD) da base governista, al&eacute;m de Sargento Arag&atilde;o (PROS) e Z&eacute; Roberto (PT) da oposi&ccedil;&atilde;o. Na primeira reuni&atilde;o, ser&atilde;o decididos o presidente, vice-presidente e o relator da CPI.<br /> <br /> Os deputados da oposi&ccedil;&atilde;o Z&eacute; Roberto e Arag&atilde;o garantiram que estar&atilde;o na sess&atilde;o. O deputado Z&eacute; Roberto afirmou que, com a instala&ccedil;&atilde;o da CPI, a inten&ccedil;&atilde;o &eacute; tentar aprovar algumas oitivas ainda essa semana. &ldquo;Eu e o Arag&atilde;o estamos pesquisando alguns nomes de ex-dirigentes e poss&iacute;veis envolvidos nas a&ccedil;&otilde;es dentro do instituto. Ainda &eacute; cedo para divulgar nomes, porque n&atilde;o fizemos todo o levantamento.&rdquo; Arag&atilde;o ressaltou que s&oacute; precisa haver qu&oacute;rum para o in&iacute;cio das atividades. &ldquo;Se for instalada a CPI faremos a sess&atilde;o inaugural&rdquo;, disse.<br /> <br /> A grande d&uacute;vida, e maior expectativa, reside na indaga&ccedil;&atilde;o se a CPI ir&aacute; convocar os ex-presidentes do Conselho de Administra&ccedil;&atilde;o para prestar depoimento, a exemplo do atual Secret&aacute;rio de Administra&ccedil;&atilde;o, L&uacute;cio Mascarenhas, e do ex-secret&aacute;rio de Rela&ccedil;&otilde;es Institucionais Eduardo Siqueira Campos. Eles eram os grandes respons&aacute;veis pela aprova&ccedil;&atilde;o das aplica&ccedil;&otilde;es temer&aacute;rias que resultou no rombo milion&aacute;rio. Segundo informa&ccedil;&otilde;es de lideran&ccedil;as, os deputados governistas podem blindar e impedir a convoca&ccedil;&atilde;o de Eduardo.<br /> <br /> Al&eacute;m deles o deputado Wanderlei Barbosa (SD), da base governista, ressaltou que estar&aacute; presente na sess&atilde;o de hoje. &ldquo;Abre-se uma CPI para fiscalizar e buscar elucidar os fatos para a sociedade. Com certeza vamos sair dessa comiss&atilde;o com uma resposta conclusiva no relat&oacute;rio.&rdquo;<br /> <br /> J&aacute; o deputado Stalin afirmou ontem que n&atilde;o estar&aacute; presente na sess&atilde;o de hoje. &ldquo;Eu j&aacute; tinha alguns compromissos agendados.&rdquo; Segundo ele, a instala&ccedil;&atilde;o deve ficar para a pr&oacute;xima quinta-feira.<br /> &nbsp;<br /> <u><strong>Irregularidades</strong></u><br /> <br /> A suspeita &eacute; que o rombo no Instituto ultrapasse meio bilh&atilde;o de reais. Apenas um relat&oacute;rio do Minist&eacute;rio da Previd&ecirc;ncia Social (MPS) mostrou perda de R$ 153 milh&otilde;es em investimentos aplicados em fundos temer&aacute;rios e a transfer&ecirc;ncia irregular de, pelo menos, R$ 35 milh&otilde;es em recursos do Fundo Previdenci&aacute;rio para o Plansa&uacute;de.<br /> <br /> <u><strong>Aplica&ccedil;&otilde;es nos fundos dos doleiros</strong></u></span><br /> <br /> <span style="font-size:14px;">De 2010 a 2012, h&aacute; aplica&ccedil;&otilde;es em quatro fundos indicados pela quadrilha chefiada pelo doleiro Faiyed, que totalizaram R$ 271 milh&otilde;es. Em dois meses, as aplica&ccedil;&otilde;es feitas em fundos indicados pela empresa do doleiro deram um preju&iacute;zo ao Igeprev de R$ 70 milh&otilde;es. Al&eacute;m do mais, o Igeprev aplicou R$ 298 milh&otilde;es nos Bancos BVA e Rural, liquidados pelo Banco Central, aumentando o preju&iacute;zo do fundo de aposentadoria dos servidores do Tocantins.</span><br /> <br /> <span style="font-size:14px;">Esta semana a Revista Veja tamb&eacute;m mostrou que o Igeprev foi um dos institutos que abasteceu o esquema do doleiro Alberto Youssef, investigado na Opera&ccedil;&atilde;o Lava-Jato da Pol&iacute;cia Federal. Dos R$ 23 milh&otilde;es aplicados em uma de suas empresas, R$ 12 milh&otilde;es foram s&oacute; do s&oacute; do Instituto de Gest&atilde;o Previdenci&aacute;ria do Tocantins (Igeprev).<br /> <br /> Essas irregularidades devem ser sanadas para que o Estado possa obter a renova&ccedil;&atilde;o do Certificado de Regularidade Previdenci&aacute;ria (CRP), vigente at&eacute; o pr&oacute;ximo dia 7 de junho. <em>(Com informa&ccedil;&otilde;es do Jornal do Tocantins)</em></span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.