Desarmados, policiais impedem entrada de drogas e celulares na CPP de Guaraí; "constrangedor", diz Sinpol

Por Redação AF
Comentários (0)

17/03/2015 15h41 - Atualizado há 1 mês
<span style="font-size:14px;">Em greve desde o dia 25 de fevereiro e agora desarmados por determina&ccedil;&atilde;o do governador Marcelo Miranda, policiais civis impediram o ingresso de drogas e celulares na Casa de Pris&atilde;o Provis&oacute;ria de Guara&iacute;,</span><span style="font-size:14px;">&nbsp;na noite de segunda-feira, 16 de mar&ccedil;o</span><span style="font-size:14px;">.<br /> <br /> Segundo a dire&ccedil;&atilde;o da CPP de Guara&iacute;, os policiais, mesmo sem armas, equipamentos e colocando em risco a pr&oacute;pria vida, interceptaram uma trouxa feita de peda&ccedil;os de pano com 300 gramas de maconha, tr&ecirc;s aparelhos celulares e dois carregadores. Os objetos foram abandonados por uma pessoa n&atilde;o identificada, que estaria tentando jog&aacute;-los por cima do muro da unidade.<br /> <br /> <em>&ldquo;A situa&ccedil;&atilde;o j&aacute; &eacute; constrangedora. Esse ato dos colegas foi heroico. Correram risco imenso&rdquo;</em>, ressaltou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins, Moisemar Marinho. Diferentemente de Palmas, policiais militares n&atilde;o foram designados para cuidar da CPP de Guara&iacute;.<br /> <br /> Os policiais entraram em greve ap&oacute;s aguardar, e n&atilde;o receber, uma proposta sequer da administra&ccedil;&atilde;o estadual para o cumprimento da lei 2.851/2014, que teve seus efeitos suspensos por decreto do governador Marcelo Miranda.<br /> <br /> A lei regulamenta conquista hist&oacute;rica dos policiais civis, com o alinhamento da carreira de cerca de 1,3 profissionais. O alinhamento foi promovido pelo pr&oacute;prio governador Marcelo Miranda em 2007, na sua pen&uacute;ltima gest&atilde;o.<br /> <br /> Por&eacute;m, s&oacute; foi regulamenta&ccedil;&atilde;o da conquista se arrastou por todos os governos seguintes e s&oacute; veio a ocorrer em abril do ano passado, para ter efeitos financeiros parcelados em quatro vezes a partir de 2015.<br /> <br /> A parcela de 2015 do alinhamento corresponde a apenas 1% da folha de pagamento do Estado e n&atilde;o ultrapassa mensalmente o percentual de 21% do que o Estado tem para gastar com o pagamento de sal&aacute;rios de cargos comissionados.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

De olho nas oportunidades

Vagas temporárias: qual o perfil das pessoas a serem contratadas no Tocantins?

50% dos comerciantes preferem contratar mulheres para ocuparem os cargos.

Danos morais

Empresas são condenadas por negativar nome de mulher falecida no Tocantins

A suspensão das cobranças deveria ter sido feita logo após o óbito por conta de seguro.

Profissões

Top 20: Profissões que mais avançaram nos últimos anos e outras que sumiram

Nas que mais avançaram, há uma predominância de atividades voltadas para a saúde.

Oportunidades

230 vagas de emprego para Palmas, Araguaína e mais sete cidades do Tocantins

As cidades que têm mais vagas disponíveis são Araguaína, com 64, Palmas, 56, e Taquaralto, 26.

Política

Bolsonaro cogita Sérgio Moro no Supremo Tribunal Federal, diz presidente do PSL

Bebianno é cotado para ser ministro da Justiça num eventual governo Bolsonaro.

3ª Corrida da Justiça

Cerca de 1.000 atletas participam de tradicional prova noturna no Tocantins

Os corredores se dividiram em dois trajetos (5 e 10 km) finalizando na na Praça dos Girassóis.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.