Dilma se solidariza com mulher que fez protesto contra estupro

Por Redação AF
Comentários (0)

31/03/2014 17h51 - Atualizado há 2 meses
<span style="font-size:14px;"><u>Luana Louren&ccedil;o e Paulo Victor Chagas</u><br /> <em>Ag&ecirc;ncia Brasil&nbsp;</em><br /> <br /> A presidenta Dilma Rousseff solidarizou-se nesta segunda-feira (31) com a jornalista Nana Queiroz, que foi amea&ccedil;ada na internet ap&oacute;s iniciar uma campanha nas redes sociais contra a viol&ecirc;ncia contra a mulher. O protesto virtual &ldquo;N&atilde;o mere&ccedil;o ser estuprada&rdquo; foi criado em resposta &agrave; pesquisa do Instituto de Pesquisa Econ&ocirc;mica Aplicada (Ipea), divulgada na &uacute;ltima semana, que mostrou que a maioria dos brasileiros concorda que o comportamento da mulher pode motivar o estupro.<br /> <br /> &ldquo;A jornalista Nana Queiroz se indignou com os dados da pesquisa do Ipea sobre o machismo na nossa sociedade. Por ter se manifestado nas redes contra a cultura de viol&ecirc;ncia contra a mulher, a jornalista foi amea&ccedil;ada de estupro. Nana Queiroz merece toda a minha solidariedade e respeito&rdquo;, escreveu hoje a presidenta em sua conta pessoal no Twitter.<br /> <br /> Dilma disse ainda que &ldquo;o governo e a lei&rdquo; est&atilde;o do lado da jornalista e de todas as mulheres amea&ccedil;adas ou v&iacute;timas de viol&ecirc;ncia.<br /> <br /> Nana Queiroz postou uma mensagem no Facebook na sexta-feira (28) com uma foto em frente ao Congresso Nacional, em que aparece sem camiseta e com a frase &ldquo;N&atilde;o mere&ccedil;o ser estuprada&rdquo; escrita no corpo, convocando o protesto virtual. V&aacute;rias mulheres publicaram fotos semelhantes, demonstrando indigna&ccedil;&atilde;o com a pesquisa.<br /> <br /> Ap&oacute;s a publica&ccedil;&atilde;o, a jornalista foi amea&ccedil;ada por internautas. &ldquo;Amanheci de uma noite conturbada. Acreditei na pesquisa do Ipea e experimentei na pele sua f&uacute;ria. Homens me escreveram amea&ccedil;ando me estuprar se me encontrassem na rua, mulheres escreveram desejando que eu fosse estuprada&rdquo;, relatou Nana em sua p&aacute;gina na rede social.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.