Galvão Engenharia ameaça interromper obras na BR-153 e demitir operários se BNDES não liberar R$ 2,6 bilhões

Por Redação AF
Comentários (0)

02/03/2015 15h18 - Atualizado há 1 mês
<span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br /> <br /> O projeto de duplica&ccedil;&atilde;o da BR-153, entre An&aacute;polis (GO) e Alian&ccedil;a do Tocantins, j&aacute; enfrenta graves entraves financeiros mesmo antes de iniciar de fato as obras. O motivo &eacute; que o pedido de financiamento feito pela Galv&atilde;o Engenharia, vencedora da licita&ccedil;&atilde;o em maio do ano passado, no valor de R$ 2,66 bilh&otilde;es, est&aacute; no BNDES, mas ainda n&atilde;o h&aacute; prazo para ser liberado.<br /> <br /> Ainda n&atilde;o saiu sequer o empr&eacute;stimo-ponte, cr&eacute;dito de curto prazo que, como &eacute; praxe nesse tipo de opera&ccedil;&atilde;o, &eacute; liberado na frente, enquanto o empr&eacute;stimo total &eacute; analisado. A Galv&atilde;o Engenharia, construtora do grupo, tem um diretor entre os presos na Opera&ccedil;&atilde;o Lava Jato da Pol&iacute;cia Federal.<br /> <br /> Em carta enviada no in&iacute;cio de fevereiro para a Ag&ecirc;ncia Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a concession&aacute;ria Galv&atilde;o BR-153, controlada pelo grupo, alerta que, caso o empr&eacute;stimo-ponte n&atilde;o seja liberado at&eacute; a pr&oacute;xima semana, ser&aacute; obrigada a interromper as obras e demitir oper&aacute;rios.<br /> <br /> A carta alega que toda a documenta&ccedil;&atilde;o exigida foi entregue e que a concession&aacute;ria n&atilde;o tem envolvimento com a Lava Jato mas, ainda assim, o empr&eacute;stimo n&atilde;o sai.<br /> <br /> O Grupo Galv&atilde;o informou que &ldquo;aguarda libera&ccedil;&atilde;o de linhas de cr&eacute;dito previstas em edital para dar sequ&ecirc;ncia aos servi&ccedil;os&rdquo;.<br /> <br /> <u><strong>Duplica&ccedil;&atilde;o</strong></u><br /> <br /> A empresa Galv&atilde;o Engenharia assinou em setembro, em Bras&iacute;lia, o contrato de concess&atilde;o da rodovia BR-153/GO/TO, entre An&aacute;polis (GO) e Alian&ccedil;a do Tocantins. Na pr&aacute;tica, o contrato significa a instala&ccedil;&atilde;o de nove pra&ccedil;as de ped&aacute;gio nos 624,8 quil&ocirc;metros do trecho, a uma tarifa de R$ 4,979 por cada 100 quil&ocirc;metros.<br /> <br /> Desses, 598,3 quil&ocirc;metros dever&atilde;o ser duplicados em cinco anos. Os demais 26,5 quil&ocirc;metros &ndash; Travessia de Gurupi (TO) e chegada a An&aacute;polis &ndash; j&aacute; est&atilde;o duplicados. A cobran&ccedil;a de ped&aacute;gio somente poder&aacute; ter in&iacute;cio ap&oacute;s a conclus&atilde;o dos trabalhos iniciais e da execu&ccedil;&atilde;o de 10% das obras de duplica&ccedil;&atilde;o.<br /> <br /> A concess&atilde;o vai gerar, em 30 anos, investimentos de R$ 4,3 bilh&otilde;es, sendo R$ 2,7 bilh&otilde;es (62,8%) nos primeiros cinco anos e R$ 1,5 bilh&atilde;o nas obras de duplica&ccedil;&atilde;o. Ainda segundo o Minist&eacute;rio dos Transportes, durante o prazo da concess&atilde;o, a Galv&atilde;o Engenharia tamb&eacute;m dever&aacute; construir o Contorno de Gurupi, com extens&atilde;o estimada de 22,1 quil&ocirc;metros, e implantar 24,7 quil&ocirc;metros de vias marginais em travessias urbanas.<br /> <br /> <u><strong>Outros projetos</strong></u><br /> <br /> Pelo menos outros nove projetos de infraestrutura e &oacute;leo e g&aacute;s de empresas ligadas &agrave; Opera&ccedil;&atilde;o Lava Jato &not; est&atilde;o sob an&aacute;lise de t&eacute;cnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econ&ocirc;mico e Social (BNDES) e envolvem financiamentos de at&eacute; R$ 31,1 bilh&otilde;es.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Mais Notícias

De Figueirópolis

Professor do Tocantins vence prêmio nacional com projeto sobre esportes

O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho dos professores que contribuem para a qualidade da educação básica.

Investigação

PF prende médico no Tocantins em operação que investiga corrupção na Saúde

Mandados também estão sendo cumpridos em São Luís (MA), Imperatriz (MA), Parauapebas (PA), Brasília (DF) e Goiânia (GO).

Estado

Bunge Açúcar e Bioenergia abre vagas para jovens engenheiros no Tocantins

As inscrições vão até o dia 9 de novembro.

Nesta quinta, 18

Vagas de emprego para manicure, mecânico, porteiro, zelador e vendedor

As vagas são para todos os níveis de escolaridade e estão distribuídas em nove cidades do Estado.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.