Sem justificativa

Governador Wanderlei exonera a 1ª indígena a ocupar cargo de secretária de Estado no Tocantins

Exoneração foi publicada no DOE e passa a valer a partir de hoje (25/6).

Por Conteúdo AF Notícias 1.405
Comentários (0)

25/06/2024 11h30 - Atualizado há 3 semanas
Narubia Silva Werreriá foi exonerada antes da viagem de Wanderlei Barbosa.

Notícias do Tocantins -  A primeira indígena a assumir o comando de uma Secretaria de Estado no Tocantins, a ativista Narubia Silva Werreriá, foi exonerada do cargo de secretária dos Povos Originários e Tradicionais.

O ato foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE nº 6596), desta segunda-feira (24), e não traz a informação "a pedido", como geralmente ocorre no meio político a fim de evitar polêmicas. A exoneração foi assinada pelo governador Wanderlei Barbosa (Republicanos) antes de embarcar para o exterior (Portugal).

Narubia havia tomado posse na Secretaria dos Povos Originários em janeiro de 2023, logo após a criação da pasta. Ela ainda não se manifestou sobre a exoneração.

Em ato contínuo, o servidor Paulo Waikarnãse Xerente foi designado para responder interinamente pela pasta, a partir desta terça (25).O novo secretário atuava como Diretor de Proteção aos Indígenas da Sepot. Ele é graduado em Administração pela Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), mestre em Ciências do Ambiente pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) e possui experiência como técnico de enfermagem, com ênfase em Saúde Indígena.

Funções da Secretaria dos Povos Originários

A Pasta tem a missão de propor diretrizes e projetos para a política de proteção aos povos originários e tradicionais do Tocantins; promoção de ações nas áreas de saúde, educação, cultura, saneamento, habitação e agricultura, entre outras; articular ações mediadoras, visando à solução dos conflitos sociais que envolvam os povos originários e tradicionais.

Cerca de 14,1 mil indígenas estão vivendo em terras tocantinenses, divididos em dez etnias, sendo elas: Apinajé, Xerente, Krahô, Karajá Xambioá, Karajá, Javaé, Avá Canoeiro, Krahô Kanela, Kanela do Tocantins e Krahô Takaywrá. Destes, 11.560 vivem em terras indígenas demarcadas, enquanto 2.558 estão fora do território.

Em relação às comunidades quilombolas, o Tocantins conta com 38 no total, conforme pesquisa divulgada pela Secretaria de Cultura e Turismo (Secult), sendo seis comunidades localizadas na região norte, oito na região central, 13 na região sudeste e 11 na região sul do Estado. O último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), datado de 2010, aponta que 42,9% da população tocantinense é formada por mulheres.

Perfil da ex-secretária

Narubia Silva Werreriá é ativista das causas dos povos originários e tradicionais, além de cantora, compositora, artista plástica, poetisa e produtora cultural. Suas origens vem do Povo Iny, na Ilha do Bananal, e desde muito cedo iniciou o seu ativismo pelos povos indígenas. Na Universidade Federal do Tocantins, onde estudou Direito, ela se destacou por defender e dar voz às causas dos povos originários, não somente da região onde ela pertence, mas de todo o Estado.

Atualmente ela é presidente da ONG Instituto Indígena do Tocantins, organização sem fins lucrativos voltada para a representatividade e defesa dos direitos dos povos indígenas. Ativismo que deu destaque para Narubia em nível nacional, sendo considerada uma liderança indigena de grande influência e referência em todo o Brasil e, por meio da arte, ela conseguiu promover a cultura do seu povo ainda em patamar nacional, uma vez que apresentou suas canções no Sonora Brasil, evento promovido pelo Sesc; e no especial televisivo “Falas da Terra”, reproduzido pela TV Globo.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.