Eleição Suplementar

Grupos de Amastha e Carlesse saem derrotados com vitória de Bolina na suplementar de Pugmil

Bolina vence em Pugmil com apoio de grupo de oposição ao Palácio.

Por Redação
Comentários (0)

03/02/2020 13h40 - Atualizado há 7 meses
Dircineu Bolina (PSDB) vence eleição suplementar em Pugmil e poderá concorrer a reeleição em outubro

Os 1.751 eleitores do município de Pugmil, na região central do estado, foram às urnas nesse domingo (02) para eleger o novo prefeito da cidade para um mandato tampão até 31 de dezembro.

Após a apuração das urnas, Dircineu Bolina (PSDB) venceu a eleição com 804 votos (53,96%), o segundo colocado, o prefeito interino Nazaré Amâncio (Cidadania) ficou com 623 votos (41,81%), e em terceiro, o empresário Valmor Hagestedt (PSB), obteve apenas 63 votos (4,23%).

De acordo com os dados do Tribunal Regional Eleitoral, votos brancos e nulos somaram apenas 1,65% do total dos votos válidos. A abstenção ficou em 13,48%.

Bolina e seu vice, Ângelo Mário Pereira da Silva, da Coligação Muda Pugmil (MDB e PSDB), ficam no cargo até o final do ano e podem concorrer à reeleição em outubro.

Suplementar

A eleição suplementar foi determinada pela Justiça Eleitoral após cassação da ex-prefeita Maria de Jesus Ribeiro da Silva Mendes (PPS) e do vice-prefeito Elton Barros Coelho em decorrência da captação e gastos de ilícitos de recursos e abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2016.

Polarização

Durante a campanha relâmpago, Bolina recebeu o apoio dos deputados federias Vicentinho Júnior (PL), Dulce Miranda (MDB) e Dorinha Rezende (DEM), e dos deputados estaduais Olyntho Neto (PSDB) e Valdemar Júnior (MDB), além do presidente estadual do PSDB, o ex-senador Ataídes de Oliveira. O grupo, com exceção dos deputados estaduais, é considerado de oposição ao Palácio Araguaia. A relação política de Dorinha com o atual governo é também uma incógnita. 

O prefeito interino Nazaré Amâncio, segundo colocado na disputa, recebeu o apoio do grupo carlessita e era considerado o candidato palaciano. Além do senador Eduardo Gomes (MDB) e do presidente da Assembleia Antônio Andrade (PTB), subiram no palanque de Amâncio o presidente regional do MDB, Nilton Franco, e os deputados estaduais Jair Farias (MDB) e Léo Barbosa (SD).

Interferência

Em meados de janeiro, o próprio governador Mauro Carlesse (DEM) mandou um recado aos futuros candidatos e disse que o Palácio ficará de fora da campanha eleitoral, mas não a figura pessoal do governador.

Derrocada

A inexpressiva votação do empresário candidato Valmor Hagestedt (63 votos), da Coligação A Verdadeira Mudança (PSB, PSL), apoiado pelo ex-prefeito da capital e presidente estadual do PSB, Carlos Amastha, evidencia a queda do partido em âmbito estadual. Após acumular inúmeras baixas, com a saída de Alan Barbiero, os pessebistas vêm o sonho de voltar a governar a capital cada vez mais distante.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.