Homem de mais de 200 kg passa por cirurgia bariátrica no Tocantins; jovem também conta sua experiência

Por Redação AF
Comentários (0)

17/08/2015 11h21 - Atualizado há 2 meses
<span style="font-size:14px;">Uma mudan&ccedil;a que n&atilde;o &eacute; apenas percebida pelo manequim, mas que vai al&eacute;m do f&iacute;sico, oportunizando uma melhor qualidade de vida, autoestima renovada e solu&ccedil;&otilde;es para in&uacute;meros males que s&atilde;o decorrentes da obesidade. Estes s&atilde;o alguns dos resultados que as cirurgias bari&aacute;tricas proporcionaram a pacientes que j&aacute; passaram pelo procedimento no Hospital Geral de Palmas (HGP).<br /> <br /> Segundo o cirurgi&atilde;o Jos&eacute; Augusto Campos, um dos respons&aacute;veis pela realiza&ccedil;&atilde;o dos procedimentos, a cirurgia bari&aacute;trica &eacute; um tratamento de sa&uacute;de e por isso &eacute; autorizada pelo Sistema &Uacute;nico de Sa&uacute;de (SUS). <em>&ldquo;A cirurgia bari&aacute;trica n&atilde;o tem fins est&eacute;ticos, mas de melhorar a qualidade de vida das pessoas obesas, que s&atilde;o consideradas doentes, com qualidade de vida prec&aacute;ria e muitas vezes acometidas de outros agravantes como diabetes, press&atilde;o alta e, em muitos casos, segundo pesquisas, com maior risco de morte&rdquo;,</em> destacou o m&eacute;dico.<br /> <br /> Edgar J&uacute;nior Pereira dos Santos, de 40 anos, morador de Gurupi, foi um dos beneficiados com o procedimento. Ele chegou aos 210 kg e no m&ecirc;s passado passou por uma cirurgia bari&aacute;trica no HGP, sendo considerado o paciente mais obeso j&aacute; operado no hospital. Agora, passando pelo per&iacute;odo p&oacute;s-operat&oacute;rio, Edgar conta que j&aacute; perdeu 17 kg e est&aacute; animado com a mudan&ccedil;a de vida.<br /> <br /> <em>&ldquo;Estou muito contente com o resultado que estou obtendo e acredito que minha vida vai mudar totalmente, ficarei livre das dores nas pernas e nos joelhos, dores que o excesso de peso me causava e se Deus quiser voltarei a trabalhar, o que a obesidade n&atilde;o me permitia&rdquo;</em>, disse o paciente.<br /> <br /> <u><strong>Outro caso de sucesso</strong></u><br /> <br /> <img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/cirurgia%20bari%E1trica.jpg" style="width: 300px; height: 264px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: right;" />Paula Carmo Silva, que chegou a pesar 193 kg, sabe bem do que Edgar est&aacute; falando. Atualmente com 29 anos e depois te ter passado por cirurgia no HGP, ela pode contar uma outra hist&oacute;ria. <em>&ldquo;Eu s&oacute; tive vida ap&oacute;s a cirurgia. Passava a maior parte do tempo deitada, com muito cansa&ccedil;o, falta de ar, press&atilde;o sempre alt&iacute;ssima, pernas e p&eacute;s inchados. Nunca tinha trabalhado e tamb&eacute;m n&atilde;o tinha no&ccedil;&atilde;o de quanto era meu manequim, porque minhas roupas tinham que ser feitas sob encomenda. Fiz a cirurgia e me formei em Est&eacute;tica. Hoje, peso 96 kg, visto 46 e minha vida mudou totalmente. Uma das coisas que sempre tive vontade de fazer e n&atilde;o conseguia era caminhar e gra&ccedil;as a Deus hoje fa&ccedil;o sem problemas&rdquo;</em>, comemorou.<br /> <br /> <u><strong>Acompanhamento</strong></u><br /> <br /> Segundo a enfermeira respons&aacute;vel pelo acompanhamento dos pacientes que realizam bari&aacute;tricas no HGP, Helena Rodrigues, apesar de ser um procedimento cir&uacute;rgico, a bari&aacute;trica apresenta poucos riscos e o que mais conta &eacute; o comportamento do paciente ap&oacute;s a cirurgia. <em>&ldquo;O acompanhamento &eacute; feito exatamente para que o paciente tenha o resultado que espera. A perda de peso e, consequentemente a melhoria da qualidade de vida, vem com a mudan&ccedil;a de h&aacute;bitos como ingest&atilde;o de alimentos menos cal&oacute;ricos, n&atilde;o ingest&atilde;o de bebidas alco&oacute;licas e a pr&aacute;tica de exerc&iacute;cios f&iacute;sicos regularmente&rdquo;</em>, explicou.<br /> <br /> <u><strong>Prepara&ccedil;&atilde;o</strong></u><br /> <br /> Para realizar a cirurgia no HGP, o paciente deve ser regulado pelo munic&iacute;pio, passar por uma avalia&ccedil;&atilde;o com diversos especialistas como: endocrinologista, nutricionista, fisioterapeuta, psic&oacute;logo, anestesista e m&eacute;dico especialista. Ap&oacute;s a avalia&ccedil;&atilde;o e a realiza&ccedil;&atilde;o de uma s&eacute;rie de exames, o paciente, se apto, passa a fazer parte do programa e &eacute; acompanhado at&eacute; o p&oacute;s-operat&oacute;rio. Geralmente, os pacientes possuem &Iacute;ndice de Massa Corp&oacute;rea entre 35 e 40.<br /> <br /> Atualmente, no sistema do Hospital Geral de Palmas, existem 35 pacientes prontos para a cirurgia e 142 em fase de acompanhamento para o pr&eacute;-operat&oacute;rio. Os procedimentos cir&uacute;rgicos acontecem todas as quintas-feiras (uma cirurgia por semana), as consultas&nbsp; &agrave;s ter&ccedil;as e as reuni&otilde;es em grupo s&atilde;o quinzenais.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.