Palmas

Janad classifica decreto como 'irresponsável e imoral' e apoia trabalhadores em Palmas

Várias equipes de fiscalização estavam no local para impedir o protesto.

Por Conteúdo AF Notícias 1.356
Comentários (0)

26/02/2021 10h49 - Atualizado há 10 meses
Janad garantiu apoio à causa dos trabalhadores de Palmas

A presidente da Câmara Municipal de Palmas, Janad Valcari (Podemos), precisou intervir pessoalmente para garantir que empresários e trabalhadores do comércio tivessem direito à livre manifestação em frente ao prédio da própria Casa de Leis. Isso porque equipes de fiscalização da prefeitura e da Guarda Metropolitana estavam no local para impedir o acesso de veículos ao estacionamento da Câmara, contudo, Janad mandou retirar o bloqueio. O ato ocorreu na manhã desta sexta-feira (26).

"Aqui não! Aqui quem manda sou eu! Podem vir fazer barulho, a Casa aqui é de vocês. Venham, podem vir. A manifestação é legal! Podem fazer barulho, peguem a chave do meu carro e buzina também. Vocês precisam ser ouvidos e nós, vereadores, vamos ouvi-los, sim. Essa é a nossa função, os vereadores que estão aqui comigo foram eleitos para cuidar do povo", disparou Janad.

Vídeo

A presidente fez questão de ressaltar que respeita o trabalho da fiscalização, contudo, na condição de parlamentar eleita pelo voto democrático, precisa ouvir os anseios da população.

Segundo os empresários, mais de 1.700 trabalhadores já foram demitidos apenas no setor de bares e restaurantes, e mais de 100 empresas fecharam as portas na Capital durante a pandemia, em razão das medidas restritivas impostas pela prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB).

Recentemente, em novo decreto nº 1996, a gestora restringiu ainda mais o horário de funcionamento do comércio, agora das 6 às 20 horas, até o dia 8 de março A classe empresarial propõe que o horário seja das 12 horas à meia-noite para bares e restaurantes.

Ainda durante o protesto, a presidente da Câmara classificou o novo decreto como 'irresponsável e imoral', pois, segundo ela, o vírus não tem dia, hora nem lugar para circular.

"Até onde eu sei o coronavírus não é boêmio: não tem dia, não tem hora nem lugar para passar. Esse decreto eu entendo como irresponsável, é imoral. Os ônibus estão circulando lotados, os supermercados estão lotados. O povo está morrendo não é só com o vírus, está morrendo de depressão com muitas contas para pagar e também de fome porque não tem mais empregos”, afirmou Janad.

Após a intervenção de Janad, os empresários fizeram a manifestação e apresentaram suas reivindicações aos vereadores.

A presidente da Câmara ouviu todas as reivindicações da classe de trabalhadores

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2022 AF Notícias. Todos os direitos reservados.