Jovem é queimada viva por rejeitar pedido de casamento no Paquistão

Por Redação AF
Comentários (0)

29/06/2014 21h08 - Atualizado há 1 mês
<span style="font-size:14px;">Uma jovem de 18 anos morreu no Paquist&atilde;o, depois de ser queimada viva por um homem que queria casar-se com ela, mas teve a proposta rejeitada. O agressor foi detido e acusado.<br /> <br /> No s&aacute;bado (28), Sidra Shaukat estava sozinha na casa dos pais, perto da cidade de Toba Tek Singh, quando Fayyaz Aslam, de 22 anos, entrou na resid&ecirc;ncia, jogou gasolina na jovem e ateou fogo, disse um respons&aacute;vel da pol&iacute;cia. Levada para um hospital local e transferida para o hospital maior, ela morreu antes de chegar ao local.<br /> <br /> O incidente foi o segundo nos &uacute;ltimos dias relacionado a casamentos no Paquist&atilde;o. Na quinta-feira (26), Maafia Bibi, de 17 anos, e o marido Muhammad Sajjad, 31 anos, foram mortos a facadas pelo pai, por dois tios, pelo av&ocirc; e pela m&atilde;e da jovem por terem se casado contra a vontade da fam&iacute;lia. O homic&iacute;dio ocorreu numa aldeia nos arredores da cidade de Daska, 162 quil&ocirc;metros a leste de Islamabad.<br /> <br /> Em maio, Farzana Parveen, de 25 anos e gr&aacute;vida de tr&ecirc;s meses, foi agredida at&eacute; a morte nos arredores de um tribunal, na cidade de Lahore, por parentes, num caso noticiado em todo o mundo. Parveen tinha ido ao tribunal testemunhar a favor do marido, acusado pelos familiares de t&ecirc;-la raptado e obrigado a casar-se com ele.<br /> <br /> No ano passado, 869 mulheres foram mortas em crimes de honra, de acordo com a Comiss&atilde;o Independente dos Direitos Humanos do Paquist&atilde;o.</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.