Palmas

Justiça nega liminar para supermercados permanecerem de portas abertas depois das 20h

Juiz disse que medida tem amparo na legislação federal e estadual.

Por Redação
Comentários (0)

17/07/2020 08h37 - Atualizado há 3 meses
Supermercado

O juiz José Maria Lima, titular da 2ª Vara da Fazenda e Registros Públicos de Palmas, negou pedido de liminar que solicitava a suspensão dos efeitos do artigo 1º do Decreto Municipal nº 1920/2020 para permitir que os supermercados fossem excluídos da restrição de horário de funcionamento durante a noite, ou seja, depois das 20 horas até às 5 da manhã.

O pedido foi feito pela Associação dos Supermercados do Tocantins (Atos). O magistrado tomou a decisão nesta quinta-feira (16).

Na decisão, José Maria Lima reconhece a competência do poder público para fixar regras no controle da pandemia e anota que não prospera a tese de inconstitucionalidade sustentada pela associação.

Além disso, segundo ele, as medidas preventivas e temporárias tomadas pelo Município em prol ao combate da covid-19 encontram amparo na legislação federal e estadual, e que, por isso, nesta fase processual, torna-se inviável o deferimento do pedido.

“A decisão do juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Palmas reconhece que a Prefeitura de Palmas tem tomado as medidas necessárias, ainda que restritivas, para controlar a disseminação do Covid-19”, disse o procurador-geral do Município de Palmas, Mauro José Ribas.

O procurador destacou ainda que foi necessária a adoção destas medidas para evitar um aumento expressivo dos casos e um possível colapso no sistema de saúde do Município. “Após o período previsto no Decreto, será feita uma nova avaliação do cenário pela equipe de saúde para se verificar quais medidas deverão ser revistas”, finalizou.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.