Salário de agosto

'Não adianta nos chamar de heróis', diz trabalhador da UTI Covid com salário atrasado

Salário do mês de agosto ainda não foi pago; ISAC alega atraso de repasse.

Por Joselita Matos 799
Comentários (0)

24/09/2021 08h40 - Atualizado há 1 mês
Salário de agosto dos profissionais da UTI Covid ainda não foi pago.

Novamente, profissionais que atuam nas UTIs Covid nos principais hospitais públicos do Tocantins estão com salário em atraso. Até esta quinta-feira (23/9), o pagamento referente ao mês de agosto ainda não havia sido creditado na conta dos trabalhadores terceirizados. Por outro lado, os servidores públicos do Estado começam a receber o salário de setembro nesta sexta-feira (24).

Infelizmente, esse atraso tornou-se recorrente, impactando a saúde financeira dos profissionais que lutam na guerra contra a covid-19, salvando centenas de vidas.

Os trabalhadores são contratados pelo ISAC (Instituto Saúde e Cidadania) e atuam nas UTIs dos Hospitais Regionais de Araguaína e Gurupi, além do Hospital Geral de Palmas (HGP) e Hospital Estadual de Combate à Covid (HECC). Eles só recebem quando a Secretaria de Estado da Saúde (SES) efetua o repasse ao ISAC.

Nada até agora e nem previsão. Ninguém nos fala nada e somos obrigados a trabalhar, cumprir nosso papel, sem ao menos reclamar”, denuncia um profissional.

"Enfim, acho isso um descaso conosco, que damos duro todos os dias, que deixamos nossa família em casa pra vir cuidar do familiar de alguém, não adianta nos chamar de ‘heróis da saúde’ nas redes sociais, na mídia e não nos valorizar como deveríamos ser valorizados”, desabafou.

Todo mês é esse descaso, esse atraso de salário, estamos cansados de esperar e essa situação nunca muda”, finalizou o servidor.

RESPOSTA DO ISAC

Em nota ao AF Notícias, o ISAC disse que “já no início do contrato [com a SES] houve diversos atrasos de repasses, inclusive, da parcela fixa que é obrigatória até o 5º dia útil e dispensa a análise da prestação de contas”.

Neste mês, o atraso foi ainda maior, segundo o ISAC. “Jamais houve um atraso de quase 20 dias nos salários dos profissionais CLT, e de dois meses para os profissionais médicos, que é a realidade atual".

Ainda segundo o instituto, esses atrasos dificultam, inclusive, “a aquisição dos insumos gerais necessários à assistência, uma vez que estes sofrem constantes variações no mercado e a demora no repasse da verba dificulta ainda mais o processo”.

O ISAC afirmou também que a manutenção destes projetos [gestão dos leitos de UTI] é inviável para o instituto atualmente e só permanece por causa de uma Requisição Administrativa feita pelo governo após o fim dos contratos.

"O ISAC já está notificando os órgãos de controle sobre a falta de repasse financeiro para manutenção da prestação de serviços médicos e hospitalares no combate à covid-19O ISAC lamenta o atraso ocorrido, afinal, o seu compromisso é pagar em dia todos os profissionais. O Instituto se solidariza com os colaboradores, prestadores de serviço e fornecedores", finalizou na nota.

RESPOSTA DO GOVERNO DO ESTADO

O portal também solicitou uma nota à Secretaria de Estado da Saúde, mas não obteve resposta. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.