Projeto Águas de Araguaína

Pesquisadores começam a percorrer 30 bairros de Araguaína para definir futuras ações

Após a pesquisa, oficinas e cursos serão ofertados nos setores.

Por Redação
Comentários (0)

31/08/2021 14h19 - Atualizado há 3 meses
Até dezembro, estão previstas 2.806 entrevistas presenciais

As equipes de pesquisadores do Sesi (Serviço Social da Indústria), contratados pela Prefeitura de Araguaína, iniciaram na última segunda-feira (30/8), o trabalho de pesquisa com a comunidade de 30 setores contemplados por obras do Projeto Águas de Araguaína.

O diagnóstico teve início com a aplicação dos formulários; seguirá com o relatório fotográfico; planilha de tabulação dos dados; estudo socioambiental da comunidade afetada e será concluído com a apresentação do estudo à UGP e Secretaria da Infraestrutura.

O objetivo é produzir um diagnóstico socioeconômico e ambiental das regiões contempladas pelo projeto, identificando as expectativas dos moradores com a finalização das obras em execução.

Além disso, norteará o Projeto de Trabalho Técnico Socioambiental (PTTSA) que na sequência será executado nos bairros, realizando oficinas e palestras específicas para as comunidades diagnosticadas.

Identificação das equipes

As equipes percorrerão os setores, devidamente identificados com crachás e uniformes, munidos de dispositivos móveis (celulares ou tablets) e pranchetas com o Termo de Consentimento de Uso de Dados e Imagem e o Comunicado de Visita, que será assinado pelo morador entrevistado.

Até dezembro, estão previstas 2.806 entrevistas presenciais, realizadas nas empresas exclusivamente em horário comercial. Nas residências, podem ser realizadas aos finais de semana ou no período noturno, por meio de agendamento, caso haja dificuldade de encontrar os moradores em casa no horário comercial.

Os uniformes têm os logotipos do Sesi, da Prefeitura de Araguaína, da CAF – Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Projeto de Saneamento Integrado Águas de Araguaína.

Setores atendidos

Os pesquisadores visitarão residências e empresas nos setores Dom Orione; Vila Rosário; Jardim Itatiaia; Maracanã; Universitário; São Miguel; Raizal; Santa Rita; Tereza Hilário; Morada do Sol 2; Alaska; Santa Luzia; Jardim América; Céu Azul; Santa Terezinha; Vila Ferreira; Martim Jorge; George Yunes; Urbanístico e Nova Araguaína.

Além destes setores específicos, serão entrevistados os moradores das áreas impactadas pelo canal Tanque, Planalto e Tibúrcio; córregos Neblina, Água Fria e São Miguel; além da recuperação e desassoreamento do córrego São Benedito; parques Raizal, São Miguel e Via Marginal Lago.

Águas de Araguaína

O desenvolvimento sustentável, com investimentos em infraestrutura aliado à preservação das nascentes é o objetivo do Projeto Águas de Araguaína. O projeto é executado com financiamento obtido por meio do Banco de Desenvolvimento da América Latina – Corporação Andina de Fomento (CAF).

A canalização evitará a degradação dos recursos hídricos disponíveis nos córregos Canindé e Neblina, principais afluentes da bacia do Lontra e consequentemente colaborando para a despoluição do Lago Azul.

Além da implantação da Via Norte, que ligará o centro da cidade a 14 bairros, contribuindo para desafogar o trânsito de Araguaína, o Projeto contempla uma série de obras nos bairros, totalizando um investimento de mais de R$ 350 milhões.

A criação de bacias de detenção da água das chuvas, evitará futuros alagamentos e a implantação de vários pontos de área verde, com os parques Nascentes do Neblina, São Miguel e Raizal, garantirá a preservação dos córregos Neblina, Jacuba e do Rio Lontra.

(Mara Santos/Ascom)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.