"Devemos sentir vergonha é da gestão corrupta do futebol"

Por Redação AF
Comentários (0)

09/07/2014 22h57 - Atualizado há 2 semanas
<span style="font-size:14px;">O deputado federal e ex-atacante Rom&aacute;rio (PSB-RJ) publicou nesta quarta-feira(9) em sua p&aacute;gina no Facebook uma an&aacute;lise sobre a derrota do Brasil, em campo e fora dele. &quot;Acha que isso &eacute; problema s&oacute; dos jogadores ou do Felip&atilde;o? Nem de longe&quot;, alerta, para denunciar que o futebol brasileiro vem sendo sugado por cartolas, &quot;um bando de ladr&otilde;es, corruptos e quadrilheiros&quot;.<br /> <br /> Para Rom&aacute;rio, Jos&eacute; Maria Marin, presidente da CBF, e Marco Polo Del Nero, o vice, deveriam estar na cadeia. Em duas horas, a publica&ccedil;&atilde;o j&aacute; contava com quase 40 mil compartilhamentos na rede social.<br /> <br /> <strong><u>Confira o texto na &iacute;ntegra:</u></strong><br /> <br /> <em>Galera,<br /> <br /> passado o luto das primeiras horas seguidas da derrota, vamos ao que verdadeiramente interessa! Quem tem boa mem&oacute;ria, vai lembrar da minha frase: Fora de campo, j&aacute; perdemos a Copa de goleada!<br /> <br /> Infelizmente, dentro de campo, n&atilde;o foi diferente.<br /> <br /> Ontem foi um dia muito triste para nosso futebol. Venceu o melhor e ningu&eacute;m h&aacute; de questionar a superioridade do futebol alem&atilde;o j&aacute; h&aacute; alguns anos. Ainda assim, o mundo assistiu com perplexidade esta derrota, porque nem a Alemanha, no seu melhor otimismo, deve ter imaginado essa vit&oacute;ria hist&oacute;rica.<br /> <br /> Por&eacute;m, se puxarmos da mem&oacute;ria, vamos lembrar que nossa sele&ccedil;&atilde;o j&aacute; n&atilde;o vinha apresentando nosso melhor futebol h&aacute; muito tempo. Jogamos muito mal. Infelizmente, levamos sete e, por mais que isso cause mal-estar, devemos admitir que a chuva de gols foi apenas reflexo do p&acirc;nico, da incapacidade de rea&ccedil;&atilde;o dos nossos jogadores e da falta de atitude do treinador de mudar o time.<br /> <br /> Vivemos uma crise no nosso esporte mais amado, chegamos ao auge dela. Acha que isso &eacute; problema s&oacute; dos jogadores ou do Felip&atilde;o? Nem de longe.<br /> <br /> Nosso futebol vem se deteriorando h&aacute; anos, sendo sugado por cartolas que n&atilde;o t&ecirc;m talento para fazer sequer uma embaixadinha. Ficam dos seus camarotes de luxo nos est&aacute;dios brindando os milh&otilde;es que entram em suas contas. Um bando de ladr&otilde;es, corruptos e quadrilheiros!<br /> <br /> O meu sentimento &eacute; de revolta.<br /> <br /> Estou h&aacute; quatro anos pregando no deserto sobre os problemas da Confedera&ccedil;&atilde;o Brasileira de Futebol, uma institui&ccedil;&atilde;o corrupta gerindo um patrim&ocirc;nio de alt&iacute;ssimo valor de mercado, usando nosso hino, nossa bandeira, nossas cores e, o mais importante, nosso material humano, nossos jogadores. Porque n&atilde;o se iludam, futebol &eacute; neg&oacute;cio, business, entretenimento e move rios de dinheiro. Nunca tive o apoio da presidenta do Pa&iacute;s, Dilma Rousseff, ou do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Que todos saibam: j&aacute; pedi v&aacute;rias vezes uma interven&ccedil;&atilde;o pol&iacute;tica do Governo Federal no nosso futebol.<br /> <br /> Em 2012, eu apresentei um pedido de CPI da CBF, baseado em um s&eacute;rie de esc&acirc;ndalos envolvendo a entidade, como o enriquecimento il&iacute;cito de dirigentes, corrup&ccedil;&atilde;o, evas&atilde;o de divisas, lavagem de dinheiro e desvio de verba do patroc&iacute;nio da empresa &aacute;rea TAM. O pedido est&aacute; parado em alguma gaveta em Bras&iacute;lia h&aacute; dois anos. Em questionamento ao presidente da C&acirc;mara dos Deputados, sr. Henrique Eduardo Alves, mas ouvi como resposta que este n&atilde;o era o melhor momento para se instalar esta CPI. N&atilde;o concordei, mas respeitei a decis&atilde;o. E agora, presidente, est&aacute; na hora?<br /> <br /> Exceto por um vexame como o de ontem, o Brasil n&atilde;o precisaria se envergonhar de uma derrota em campo, afinal, derrotas fazem parte do esporte. Mas vergonha mesmo devemos sentir de ter uma das gest&otilde;es de futebol mais corruptas do mundo. A arrog&acirc;ncia dessa entidade &eacute; t&atilde;o grande que at&eacute; o chefe da assessoria de imprensa chega ao absurdo de bater em um atleta de outra sele&ccedil;&atilde;o, como fez o Rodrigo Paiva contra um jogador do Chile Pinilla. Paiva pegou quatro jogos de suspens&atilde;o e foi proibido de acessar o vesti&aacute;rio dos jogadores. Este ato foi muito simb&oacute;lico e diz muito sobre eles. O presidente da entidade, Jos&eacute; Maria Marin, &eacute; ladr&atilde;o de medalha, de energia, de terreno p&uacute;blico e apoiador da ditadura. Marco Polo Del Nero, seu atual vice, recentemente foi detido, investigado e indiciado pela Pol&iacute;cia Federal por poss&iacute;veis crimes contra o sistema financeiro, corrup&ccedil;&atilde;o e forma&ccedil;&atilde;o de quadrilha. S&atilde;o esses que comandam o nosso futebol. Querem vergonha maior que essa?<br /> <br /> Marin e Del Nero tinham que estar era na cadeia! Bando de vagabundos!!!<br /> <br /> A corrup&ccedil;&atilde;o da CBF tem ra&iacute;zes em todos os clubes brasileiros, vale lembrar que s&atilde;o as federa&ccedil;&otilde;es e clubes que elegem h&aacute; anos o mesmo grupo de cartolas, com os mesmos m&eacute;todos de gest&atilde;o arcaicos e corruptos implementados por Jo&atilde;o Havelange e Ricardo Teixeira e mantidos por Marin e Del Nero. Vale lembrar, que estes dois &uacute;ltimos mudaram o estatuto da entidade e anteciparam a elei&ccedil;&atilde;o da CBF para antes da Copa. J&aacute; prevendo uma poss&iacute;vel derrota e a dificuldade que eles teriam de se manter no poder com um quadro desfavor&aacute;vel.<br /> <br /> E os clubes? Sim, eles tamb&eacute;m s&atilde;o respons&aacute;veis por essa crise. Gest&otilde;es fraudulentas, falta de investimento na base, na forma&ccedil;&atilde;o de atletas. Grandes clubes brasileiros est&atilde;o falindo afogados em d&iacute;vidas bilion&aacute;rias com bancos e n&atilde;o pagamentos de impostos como INSS, FGTS e Receita Federal.<br /> <br /> E toda essa m&aacute; gest&atilde;o que tem destru&iacute;do o nosso futebol, infelizmente, tem sido respaldada h&aacute; anos pelo Congresso Nacional com anistias e mais anistia destes d&eacute;bitos. Este ano tivemos mais um projeto desses vexat&oacute;rios para salvar os clubes. Um projeto que previa que clubes pagassem apenas 10% de suas d&iacute;vidas e investissem 90% restante em forma&ccedil;&atilde;o de atletas. Parece at&eacute; deboche. Uma soma de aproximadamente R$ 4 bilh&otilde;es ou muito mais, n&atilde;o se sabe ao certo. Corajosamente, o deputado Ot&aacute;vio Leite, reconstruiu o texto e apresentou uma proposta honesta estruturada em responsabilidade fiscal, parcelamento de d&iacute;vidas e a cria&ccedil;&atilde;o de um fundo de inicia&ccedil;&atilde;o esportiva, com obriga&ccedil;&otilde;es claras para clubes e CBF.<br /> <br /> Em resumo, a nova proposta al&eacute;m de constituir a Sele&ccedil;&atilde;o Brasileira de Futebol e o Futebol Brasileiro como Patrim&ocirc;nio Cultural Imaterial &ndash; obrigava a CBF a contribuir com al&iacute;quota de 5% sobre as receitas de comercializa&ccedil;&atilde;o de produtos e servi&ccedil;os proveniente da atividade de Representa&ccedil;&atilde;o do Futebol Brasileiro nos &acirc;mbitos nacional e internacional. O tributo tamb&eacute;m incidiria sobre patroc&iacute;nio, venda de direitos de transmiss&atilde;o de imagens dos jogos da sele&ccedil;&atilde;o brasileira, vendas de apresenta&ccedil;&atilde;o em amistosos ou torneios para terceiros, bilheterias das partidas amistosas e royalties sobre produtos licenciados. O valor seria destinado a um fundo de inicia&ccedil;&atilde;o esportiva para crian&ccedil;as e jovens de todo o Brasil. Esses e outros artigos dariam responsabilidade &agrave; CBF, puni&ccedil;&atilde;o &agrave; entidades e outros gestores do futebol, a CBF estaria sujeita a fiscaliza&ccedil;&atilde;o do TCU e obrigada a ter participa&ccedil;&atilde;o de um conselho de atletas nas decis&otilde;es.<br /> <br /> Mas este texto infelizmente n&atilde;o foi para a frente. Sete deputados alem&atilde;es fizeram os gols que desclassificaram nosso futebol e nos tirou a chance de moralizar nosso esporte. Estes deputados, como todos sabem, fazem parte da Bancada da CBF, mudei o nome porque Bancada da Bola &eacute; muito pejorativo para algo que amamos tanto. Gosto de dar os nomes: Rodrigo Maia (DEM -RJ), Guilherme Campos (PSD-SP), Arnaldo Faria de S&aacute; (PTB-SP), Jos&eacute; Rocha (PR-BA) , Vicente C&acirc;ndido (PT-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Valdivino de Oliveira (PSDB-GO).<br /> <br /> Essa partida ainda pode ser revertida com a vota&ccedil;&atilde;o do projeto no Plen&aacute;rio da C&acirc;mara. Ser&aacute; que esses sete deputados voltar&atilde;o a prejudicar o nosso futebol?<br /> <br /> O futebol brasileiro tomou uma goleada e a derrota retumbante, infelizmente, n&atilde;o foi s&oacute; em campo. Nem sequer tivemos o prazer de jogar no Maracan&atilde;, um templo do futebol mundial, reformado ao custo de mais de R$ 1 bilh&atilde;o. Acha que foi porque n&atilde;o chegamos a final? N&atilde;o. Poder&iacute;amos ter jogado qualquer outro jogo l&aacute;. A resposta disso &eacute; gan&acirc;ncia e arrog&acirc;ncia. &Eacute; a CBF que escolhe onde o Brasil vai jogar, mas, obviamente, poderia ter tido interfer&ecirc;ncia do Minist&eacute;rio do Esporte e da presid&ecirc;ncia da Rep&uacute;blica, mas nenhum destes se manifestou. Quem levou com essas escolhas?<br /> <br /> Para fechar com chave de ouro, a CBF expulsou do vesti&aacute;rio Caf&uacute;, capit&atilde;o de sele&ccedil;&atilde;o do pentacampeaonato. Caf&uacute; foi expulso do vesti&aacute;rio enquanto cumprimentava os jogadores ontem. Este &eacute; o retrato do nosso futebol hoje, n&atilde;o honramos a nossa hist&oacute;ria.<br /> <br /> Dilma tem sim que entregar a ta&ccedil;a para outra sele&ccedil;&atilde;o. Este gesto ser&aacute; o retrato do valor que ela deu ao nosso futebol nos &uacute;ltimos anos! Eles levar&atilde;o a ta&ccedil;a e n&oacute;s ficaremos com nossos est&aacute;dios superfaturados e nenhum legado material, porque imaterial, mostramos para o mundo que com toda nossa dificuldade, somos um povo feliz.<br /> <br /> Essa ser&aacute; a ta&ccedil;a da vergonha.</em></span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.