Manifestação

Servidores lutam pela construção do Case de Araguaína; obra está parada desde 2016

CEIP em Santa Fé do Araguaia foi interditado por decisão judicial.

Por Márcia Costa 899
Comentários (0)

23/09/2021 07h55 - Atualizado há 2 meses
Manifestantes em frente ao MPE

Servidores que trabalham no Sistema Socioeducativo no Norte do Tocantins estiveram na Câmara de Araguaína, nesta quarta-feira (22), para pedir apoio dos parlamentares na luta pela retomada das obras de construção do novo Centro de Atendimento Socioeducativo de Araguaína, o Case.

Atualmente, a região norte do estado não possui nenhuma unidade socioeducativa de internação para menores, pois o CEIP Norte, em Santa Fé do Araguaia, encontra-se interditado por decisão judicial em razão da falta de condições de funcionamento. Os infratores da região estão sendo encaminhados para a unidade de Palmas.

Com o fechamento do CEIP Norte, os servidores foram realocados em outros órgãos de várias cidades, o que tem gerado custos financeiros com o deslocamento para o trabalho.

De acordo com os servidores, o Governo do Tocantins chegou a iniciar a construção do novo Centro de Internação em Araguaína no ano de 2016, mas as obras foram paralisadas logo em seguida. "O Centro seria construído na divisa dos setores Universitário e Maracanã. Foi feita apenas a terraplanagem e as obras estão paradas até hoje", lamentou um servidor.

Na Câmara, os vereadores se comprometeram a buscar apoio junto aos deputados estaduais da cidade e ao governador Mauro Carlesse para a retomada das obras do Centro Provisório de Internação.

Com faixas, os servidores também promoveram um ato de reinvindicação em frente ao prédio do Ministério Público Estadual e do Fórum de Araguaína.

"Por mais condições de trabalho e menos riscos em viagens desnecessárias!; Chega de descaso com nossos adolescentes e servidores; Servidores do CEIP NORTE, pedem socorro, Sr. Governador", diziam as faixas.

A obra do Centro de Atendimento Socioeducativo de Araguaína teve início em maio de 2016. A construção foi orçada inicialmente em quase R$ 13 milhões. O prazo de entrega era de 24 meses, mas nem os alicerces foram construídos ainda.

Manifestantes cobraram retorno das obras de CEIP na frente do Fórum de Araguaína
Servidores do sistema socioeducativo fizeram uso da tribuna livre
Servidores pediram apoio dos vereadores de Araguaína

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.