Taxistas de Araguaína estão revoltados com atuação de clandestinos, cobram fiscalização e criticam falhas do DMT

Por Redação AF
Comentários (0)

25/11/2013 15h02 - Atualizado há 1 mês
<div style="text-align: justify;"> <span style="font-size:14px;"><u>Da Reda&ccedil;&atilde;o</u><br /> <br /> ARAGUA&Iacute;NA (TO) - A atua&ccedil;&atilde;o clandestina de taxistas &aacute; atualmente um dos maiores problemas enfrentados pela classe. Segundo os profissionais legalizados, essa situa&ccedil;&atilde;o vem se agravado ao longo dos anos, por&eacute;m nenhuma medida en&eacute;rgica foi tomada pelo Poder P&uacute;blico.&nbsp;<br /> <br /> De acordo com o presidente do Sindicato dos Taxistas (Sintar), Lindomar Costa, a principal reivindica&ccedil;&atilde;o da classe atualmente &eacute; o combate &agrave; clandestinidade. <em>&ldquo;N&oacute;s estamos revoltados e queremos que o prefeito [Ronaldo Dimas] tome as medidas cab&iacute;veis, pois sabemos que s&oacute; o Poder P&uacute;blico que pode tomar as provid&ecirc;ncias. N&atilde;o podemos fazer justi&ccedil;a com as pr&oacute;prias m&atilde;os&rdquo;</em>, afirmou Lindomar.<br /> <br /> Para o presidente do Sindicato, essa atua&ccedil;&atilde;o paralela provoca uma concorr&ecirc;ncia desleal, al&eacute;m de gerar preju&iacute;zos financeiros aos taxistas que est&atilde;o em dia com suas obriga&ccedil;&otilde;es. <em>&ldquo;Imagine um trabalhador legalizado que paga seus impostos em dia, buscando o p&atilde;o de cada dia, trabalhando para pagar a presta&ccedil;&atilde;o do carro e, de repente, vem dividir esse ganho de vida com um clandestino que n&atilde;o paga nenhum imposto&rdquo;</em>, argumentou.<br /> <br /> <strong><u>Seguran&ccedil;a dos passageiros</u></strong><br /> <br /> O Sintar alerta que a atua&ccedil;&atilde;o dos clandestinos representa risco &agrave; seguran&ccedil;a dos passageiros. <em>&ldquo;Voc&ecirc; n&atilde;o sabe com quem est&aacute; andado. Voc&ecirc; n&atilde;o tem um motorista caracterizado. O clandestino n&atilde;o tem nenhuma identifica&ccedil;&atilde;o. Nem sabemos a origem desse sujeito&rdquo;,</em> afirmou Lindomar Costa.<br /> <br /> <u><strong>Benef&iacute;cio em caso de morte, invalidez e doen&ccedil;as cr&ocirc;nicas</strong></u><br /> <br /> Conforme o Sindicato, uma Lei Federal j&aacute; disp&otilde;e que em casos de morte do titular, a concess&atilde;o do ponto de taxi seja transferida &agrave; fam&iacute;lia at&eacute; o t&eacute;rmino de sua validade. O Sintar reivindica que este benef&iacute;cio se estenda aos casos de invalidez e doen&ccedil;as cr&ocirc;nicas. <em>&ldquo;Como ficar&aacute; a fam&iacute;lia de um taxista que, de repente, fica inv&aacute;lido? Por isso queremos que esse ponto fique com a fam&iacute;lia para dar continuidade nos seus compromissos, presta&ccedil;&atilde;o do carro, por exemplo, e manter o pr&oacute;prio sustento&rdquo;</em>, argumentou.<br /> <br /> <u><strong>Cr&iacute;ticas ao DMT</strong></u><br /> <br /> <img alt="" src="http://www.afnoticias.com.br/administracao/files/images/taxistas(1).jpg" style="width: 300px; height: 210px; border-width: 0px; border-style: solid; margin-left: 5px; margin-right: 5px; float: left;" />Supostas falhas na atua&ccedil;&atilde;o do Departamento Municipal de Tr&acirc;nsito estaria tamb&eacute;m facilitando a atua&ccedil;&atilde;o de clandestinos.&nbsp; Segundo o taxista Manoel Rom&atilde;o, alguns vedem os pontos, mas continuam trabalhando normalmente.&nbsp; <em>&ldquo;N&atilde;o d&aacute; baixa no Departamento Municipal de Tr&acirc;nsito, a placa continua vermelha e muitos deles ainda usam o cart&atilde;o e a camisa, como se fosse taxista. Isso prejudica muito, tanto quanto os clandestinos. Somos obrigados a ficar calados, pois uma vez fui falar com um e ele at&eacute; me amea&ccedil;ou de morte&rdquo;</em>, denunciou.<br /> <br /> J&aacute; o taxista Jacks Nunes Gomes explicou que o DMT n&atilde;o recolhe a documenta&ccedil;&atilde;o do ex-taxista, mas emite outro alvar&aacute; ao novo profissional, causando duplicidade de alvar&aacute;s no mesmo ponto. <em>&ldquo;Se vender o carro em janeiro ele pode trabalhar o ano inteiro com toda a documenta&ccedil;&atilde;o. Falha do DMT, eles n&atilde;o d&atilde;o baixa no carro, n&atilde;o tiram a placa vermelha e nem a carteirinha do alvar&aacute;&rdquo;</em>, criticou.</span><br /> &nbsp;</div>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.