Conscientização

Tocantins registra mais de 1.500 casos de intoxicação por agrotóxicos em 5 anos; Saúde alerta

Dia Internacional de Luta Contra os Agrotóxicos é comemorado neste domingo, 3 de dezembro.

Por Redação
Comentários (0)

02/12/2023 08h27 - Atualizado há 2 meses
População deve ficar atenta aos sintomas causados pela intoxicação de agrotóxicos

Com o objetivo de conscientizar a população e chamar a atenção das autoridades sobre o impacto dos agrotóxicos na saúde dos trabalhadores que atuam no ambiente rural e urbano, comemora-se neste domingo, 3 de dezembro, o Dia Internacional de Luta Contra os Agrotóxicos. Estes produtos químicos sintéticos que diariamente são utilizados para o combate a insetos, larvas, fungos e carrapatos podem gerar graves problemas de saúde, tendo em alguns casos, a evolução grave, levando à óbitos.

No Tocantins, os dados da Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e da Saúde do Trabalhador da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) mostram que, entre os anos de 2018 a 2022, 1.533 casos de intoxicação por agrotóxicos foram notificados, sendo 672 por uso agrícola; 355 por uso doméstico; 26 por uso em saúde pública; 303 casos por raticida e 177 por produto veterinário. Não esquecendo, é claro, dos 386 casos de intoxicação por agrotóxicos relacionados ao trabalho.

“É importante falarmos sobre os agrotóxicos, devido os impactos do consumo intensivo desses produtos, especialmente na saúde pública, porque os mesmos atingem extensos territórios e diferentes grupos populacionais, como trabalhadores de diversos ramos de atividades ligados aos agrotóxicos, moradores do entorno de fábricas e fazendas e toda a população que consome alimentos contaminados. Sem esquecer que as intoxicações agudas causam sintomas conhecidos por irritação da pele e olhos, coceira, cólicas, vômitos, diarreias, dificuldades respiratórias, convulsões, podendo levar até a morte”, disse o diretor de vigilância em saúde ambiental e saúde do trabalhador da SES-TO, Sérgio Luís de Oliveira Silva.

E é por isso que as pessoas intoxicadas devem procurar os serviços de saúde quando apresentarem os sintomas citados acima. “Quem for exposto aos produtos químicos deve procurar atendimento nas unidades de saúde para realizarem a notificação para que seja feito o diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos expostos e intoxicados (monitoramento e preenchimento da ficha de notificação e investigação)”, acrescentou o diretor de vigilância em saúde ambiental e saúde do trabalhador da SES-TO, Sérgio Luís de Oliveira Silva. 

Ações pontuais

Dentre as ações de Vigilância em Saúde relacionadas aos agrotóxicos no Estado do Tocantins estão: a aprovação do Plano Estadual de Vigilância em Saúde de Populações Exposta a Agrotóxicos na Comissão Intergestora Bipartite (CIB); elaboração e implementação do Plano de Monitoramento de Agrotóxico na Água de Consumo Humano e Plano de Amostragem para coleta de água de consumo humano para análise de agrotóxicos; assessoria aos municípios para implantação da Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos (VSPEA) em municípios prioritários e capacitação para identificar, notificar, investigar e monitorar os casos de intoxicações por agrotóxicos para médicos, enfermeiros e técnicos da vigilância dos municípios. 

A data

Há 39 anos, 40 toneladas do gás tóxico isocianato de metilo (MIC), químico utilizado na elaboração de um praguicida vazaram em Bhopal, capital de Madhya Pradeshcon, na Índia. O MIC entrou na corrente sanguínea das pessoas que o inalaram, causando danos aos olhos, pulmões, cérebro e aos sistemas imunológicos, reprodutivos musculoesqueléticos e outros, assim como à saúde mental. Estima-se que cerca de 4 a 10 mil pessoas morreram nos três primeiros dias, muitas delas crianças. Outras 560 mil pessoas tiveram sequelas do acidente.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF Notícias. Todos os direitos reservados.