Tocantins tem mais de 75 mil hipertensos; doença costuma ser silenciosa e trazer sérias complicações

Por Redação AF
Comentários (0)

24/04/2015 14h41 - Atualizado há 1 segundo
<span style="font-size:14px;">O Tocantins possui atualmente 75.867 pacientes hipertensos sendo que a cidade com maior n&uacute;mero de casos &eacute; Palmas, que lidera o ranking com 10.916 pacientes, conforme dados da Diretoria de Vigil&acirc;ncia Epidemiol&oacute;gica das Doen&ccedil;as Transmiss&iacute;veis e N&atilde;o Transmiss&iacute;veis (Dant). Outro dado da Secretaria de Estado da Sa&uacute;de (Sesau) aponta que somente neste ano, de janeiro a abril, 1.857 novos casos j&aacute; foram registrados.<br /> <br /> De acordo com o m&eacute;dico cardiologista, Genildo Ferreira Nunes, apesar de 95% dos casos n&atilde;o ter uma causa conhecida, os fatores de risco e grandes vil&otilde;es associados &agrave; doen&ccedil;a s&atilde;o o fumo, o consumo de bebidas alco&oacute;licas, sedentarismo, grande consumo de sal e sono inadequado. O cardiologista lembra ainda que a hipertens&atilde;o costuma ser assintom&aacute;tica ou silenciosa.&nbsp; <em>&ldquo;A hipertens&atilde;o arterial &eacute; uma doen&ccedil;a cr&ocirc;nico-degenerativa que na grande maioria das vezes &eacute; silenciosa. Por&eacute;m, quando a press&atilde;o sobe muito, podem ocorrer sintomas como dores no peito, dor de cabe&ccedil;a, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, vis&atilde;o emba&ccedil;ada e sangramento nasal&rdquo;</em>, informa.<br /> <br /> Ainda de acordo com o m&eacute;dico, complica&ccedil;&otilde;es como Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou infarto s&atilde;o decorrentes da press&atilde;o alta. <em>&ldquo;As principais complica&ccedil;&otilde;es relacionadas &agrave; hipertens&atilde;o s&atilde;o AVC, infarto e insufici&ecirc;ncia renal cr&ocirc;nica. Al&eacute;m disso, a hipertens&atilde;o tamb&eacute;m pode levar a uma hipertrofia do m&uacute;sculo do cora&ccedil;&atilde;o, causando arritmia card&iacute;aca, e afetar os olhos, diminuindo a vis&atilde;o</em>&rdquo; destacou.<br /> <br /> Luiza Da Silva Aguiar, de 54 anos, &eacute; hipertensa e tem vivido um drama, h&aacute; 22 anos ela &eacute; diab&eacute;tica e h&aacute; dois descobriu ser hipertensa.&nbsp; Recentemente ela teve uma complica&ccedil;&atilde;o e foi diagnosticada com insufici&ecirc;ncia renal, tendo que passar por sess&otilde;es de hemodi&aacute;lise tr&ecirc;s vezes por semana. <em>&ldquo;Agora minha alimenta&ccedil;&atilde;o &eacute; muito restrita, n&atilde;o posso comer nem comida doce nem comida salgada e ainda tenho que fazer a hemodi&aacute;lise</em>&rdquo; contou.<br /> <br /> <strong><u>Dia Nacional de Combate &agrave; Hipertens&atilde;o</u></strong><br /> <br /> No pr&oacute;ximo dia 26 de abril &eacute; comemorado em todo o pa&iacute;s o Dia Nacional de Combate &agrave; Hipertens&atilde;o, conhecida tamb&eacute;m como press&atilde;o alta. A data visa conscientizar a sociedade sobre os riscos da doen&ccedil;a e difundir a pr&aacute;tica do estilo de vida saud&aacute;vel, que de acordo com cardiologista Genildo, contribui muito para o combate a doen&ccedil;a.<br /> <br /> &ldquo;<em>O tratamento da hipertens&atilde;o pode ser n&atilde;o-medicamentoso, que consiste em orientar o paciente a ter um estilo de vida mais saud&aacute;vel, uma alimenta&ccedil;&atilde;o rica em frutas, verduras e vegetais, evitar a ingest&atilde;o excessiva de sal, combater o sedentarismo e a obesidade, evitar o &aacute;lcool e o cigarro. Quando essas medidas n&atilde;o s&atilde;o suficientes para controlar a press&atilde;o arterial, o m&eacute;dico pode optar por introduzir medica&ccedil;&otilde;es</em>&rdquo;, explica o cardiologista.<br /> <br /> <strong><u>Estado trabalha contra hipertens&atilde;o</u></strong><br /> <br /> Com foco na qualidade de vida e objetivando diminuir os registros de hipertens&atilde;o, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Sa&uacute;de (Sesau), realiza assessorias e acompanhamento das a&ccedil;&otilde;es de aten&ccedil;&atilde;o e controle da hipertens&atilde;o arterial e diabetes mellitus nos 139 munic&iacute;pios tocantinenses. As a&ccedil;&otilde;es consistem em distribui&ccedil;&atilde;o de material educativo, coopera&ccedil;&atilde;o t&eacute;cnica in loco, acompanhamento e avalia&ccedil;&atilde;o das a&ccedil;&otilde;es de aten&ccedil;&atilde;o e controle da hipertens&atilde;o arterial e diabetes.<br /> <br /> Tamb&eacute;m s&atilde;o oferecidas oficinas para qualifica&ccedil;&atilde;o dos profissionais de sa&uacute;de que atuam nos pontos de aten&ccedil;&atilde;o a sa&uacute;de, buscando a organiza&ccedil;&atilde;o dos servi&ccedil;os, dos processos de trabalho e qualidade da aten&ccedil;&atilde;o ao portador de hipertens&atilde;o, bem como a constru&ccedil;&atilde;o do Plano de Enfrentamento das Doen&ccedil;as Cr&ocirc;nicas.<br /> <br /> <strong><u>Preven&ccedil;&atilde;o e combate</u></strong><br /> <br /> O m&eacute;dico cardiologista Genildo Nunes aponta &ldquo;dez mandamentos&rdquo; para quem deseja prevenir e controlar a press&atilde;o alta:<br /> <br /> 1-Me&ccedil;a a press&atilde;o arterial pelo menos uma vez por ano<br /> 2-Pratique atividades f&iacute;sicas todos os dias<br /> 3-Mantenha o peso ideal, evite a obesidade<br /> 4-Adote alimenta&ccedil;&atilde;o saud&aacute;vel: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes<br /> 5-Reduza o consumo de &aacute;lcool e, se poss&iacute;vel, n&atilde;o beba<br /> 6-Abandone o cigarro<br /> 7-Nunca pare o tratamento, &eacute; para a vida toda<br /> 8-Siga as orienta&ccedil;&otilde;es do seu m&eacute;dico ou profissional da sa&uacute;de<br /> 9-Evite o estresse. Tenha tempo para a fam&iacute;lia, os amigos e o lazer<br /> 10-Ame e seja amado</span>
ASSUNTOS

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.