Alimentação

Veja quais os alimentos mais presentes na mesa do tocantinense, conforme dados do IBGE

Os alimentos in natura predominam no padrão alimentar.

Por Redação
Comentários (0)

06/04/2020 14h38 - Atualizado há 1 mês
Veja os alimentos mais consumidos no Tocantins

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou na sexta-feira, 3 de abril, o módulo Avaliação Nutricional da Disponibilidade Domiciliar de Alimentos no Brasil da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) referente aos anos de 2017-2018.

O estudo mostra que no Tocantins mais da metade (66,4%) das calorias totais disponíveis para consumo nos domicílios provém de alimentos in natura ou minimamente processados, 20,9% de ingredientes culinários processados, 3,3% de alimentos processados e 9,4% de alimentos ultraprocessados.

Comparando os estados da Região Norte, a participação dos alimentos frescos no total calórico da disponibilidade alimentar foi mais significativa na mesa dos tocantinenses. A nível Brasil, apenas o Maranhão apresentou a maior variação (67,3%).

O IBGE destaca, porém, que as aquisições realizadas com alimentação fora do domicílio não fazem parte desse estudo. As análises tomaram por base as aquisições de alimentos e bebidas para consumo no próprio domicílio pesquisado, expressas em quilogramas, que foram transformadas em calorias.

Arroz e óleo

No Tocantins, dentre o grupo dos alimentos in natura e minimamente processados, o arroz correspondeu a 40,3% das calorias totais. A carne bovina vem em seguida, com participação de 5,4%; o feijão, com 4,3%; e a carne de aves com 3,3%. Dos ingredientes culinários processados, o óleo vegetal correspondeu a 11,8% das calorias totais, seguido pelo açúcar, com 7,3%.

Já entre os alimentos processados, o de maior contribuição foi o pão (1,6% das calorias totais), seguido de carnes salgadas, secas ou defumadas (0,7%). Destacam-se entre os alimentos ultraprocessados os frios e embutidos (1,3%), biscoitos salgados (1,2%), biscoitos doces (1%) e margarina (1%).

Aquisição alimentar

O estudo divulgado detalha a aquisição alimentar dos domicílios segundo grupos e subgrupos de produtos. As médias são apresentadas em quilogramas per capita anual, mas não significam o que foi efetivamente consumido durante o ano, mas sim o que foi adquirido por compra, doação, troca, retirada do negócio, produção própria, entre outras. O estudo que aponta o consumo efetivo será divulgado posteriormente.

Entre 2017 e 2018, os tocantinenses fizeram maior aquisição dos seguintes grupos de alimentos: cereais e leguminosas (37,050 kg), carnes (16,506 kg), bebidas e infusões (13,235 kg), frutas (9,640 kg), hortaliças (9,612 kg), laticínios (9,214 kg), aves e ovos (6,404 kg), açucares, doces e produtos de confeitaria (6,344 kg) e farinhas, féculas e massas (5,926 kg).

O Tocantins apresentou média acima da nacional e da Região Norte para apenas um dos 17 grupos que compõem o estudo. O resultado significativo foi para a aquisição alimentar de cereais e leguminosas (37,050 kg), já que a média regional foi de 26,644 kg e a média Brasil 27,757 kg. Em contrapartida, no estado foi registrado a menor aquisição domiciliar per capita para o grupo cocos, castanhas e nozes (0,064 kg), cerca de 99% menor que a média da Região Norte que ficou em 9,530 kg.

A coordenação da pesquisa destaca que na publicação desses resultados se faz necessário levar em consideração múltiplos fatores de influência como: a cultura culinária da região, o aumento do consumo alimentar fora do domicílio e a mudança de hábitos alimentares, ou seja, a opção por preparações mais rápidas e dinâmicas.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.