Araguaína

Amastha xinga políticos e foge de entrevista irritado ao ser questionado sobre investigação da PF

Por Redação AF
Comentários (0)

23/09/2017 19h42 - Atualizado há 1 semana
Alberto Rocha//AF Notícias O prefeito de Palmas, o colombiano Carlos Amastha (PSB), protagonizou mais uma façanha que deverá render comentários no meio político. O fato aconteceu neste sábado (23), no aeroporto de Araguaína, enquanto falava com a imprensa. Instantes antes da entrevista, Amastha voltou a fazer provocações à sua própria classe. Diante da informação, divulgada pelo AF, de que não seria recebido por líderes de Araguaína caso xingasse os políticos, o colombiano esbravejou a expressão 'vagabundos!', em elevado tom de voz, deixando os assessores desconfortáveis. Já na entrevista, o gestor explicou que o principal motivo da sua visita a Araguaína seria para participar do leilão 'Direito de Viver', cuja renda será revertida à construção do Hospital do Câncer do Tocantins, em Palmas. Mas também deixou escapar que se tratava de uma andança com viés político, já que ele é um dos pretensos candidatos ao Governo do Estado. "Visitando algumas lideranças e companheiros, estruturando e fortalecendo o nosso partido. Conversando com outros partidos que eventualmente possam ser aliados em 2018", disse Amastha. O colombiano ressaltou que Araguaína teria "papel fundamental" numa eventual candidatura sua ao Governo. "Ninguém pode pensar em fazer um projeto nesse Estado que não passe por Araguaína", afirmou, destacando que a cidade tem uma "liderança inconteste" - o prefeito Ronaldo Dimas. HONESTIDADE NA POLÍTICA Questionado sobre honestidade na política, principalmente considerando os recentes casos de corrupção que vieram à tona envolvendo nomes importantes da política nacional, Amastha foi enfático: "Quem não é honesto deveria estar na cadeia. Infelizmente, vários dos nossos políticos deveriam estar na cadeia, mas tenho certeza de que um dia estarão lá", afirmou o prefeito. Em seguida, Amastha disse que se considera um político honesto, mas ficou visivelmente irritado ao ser questionado sobre a investigação da Polícia Federal que apura supostas fraudes na licitação do BRT de Palmas, orçado em R$ 260 milhões. "Não me faça uma pergunta que você sabe que não é verdade. A Polícia Federal sabe que não existe", disse Amastha que, após bater na mesa, levantou-se, saiu da sala às pressas com assessores, dizendo que já estava atrasado para outro compromisso.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.