Agressor da ex-namorada tentou fugir no porta-malas de veículo com ajuda de familiares

Agnaldo Araujo - |
Foto: Polícia Civil
O agressor foi preso pela Polícia Civil

Agnaldo Araujo//AF Notícias

Familiares de Divino da Silva Marinho estavam prestando total apoio a ele depois da agressão brutal à ex-namorada com vários golpes de facão no rosto, na madrugada do dia 15 de novembro em Araguaína. Após o crime, o acusado fugiu para Nova Olinda e há alguns dias estava escondido numa chácara próximo ao Distrito Agroindustrial de Araguaína (Daiara), onde foi preso.

Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que Divino estava recebendo ajuda de parentes e decidiu instalar um GPS no veículo de um dos familiares. O carro estava numa oficina quando o dispositivo de rastreamento foi instalado.

Com o GPS, a polícia passou a acompanhar o deslocamento do veículo e percebeu que ele se locomovia para uma área afastada da cidade, nas proximidades do Daiara.

Com as informações, uma operação foi montada com cerca de 15 policiais, entre delegados e agentes, e todos se deslocaram para o local indicado no rastreamento.

A operação foi comandada pelo delegado José Rérissom Macêdo, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Próximo à chácara, os policiais entraram no mato e se aproximaram devagar para não serem percebidos. Logo após, um veículo Fiat Uno, vermelho, foi interceptado pelos policiais.

O agressor estava no bagageiro do veículo do familiar no qual foi implantado o GPS. Após a prisão, Divino pediu perdão e disse que se sentiu “um monstro” ao ver a foto do rosto da ex-namorada mutilado.

Foto: Divulgação
Momento em que a polícia abordou o carro onde estava o agressor

VEJA TAMBÉM

Agressor diz que se sentiu ‘um monstro’ ao ver foto da ex-namorada com rosto mutilado

Comentários pelo Facebook: