Amastha segura bandeira ‘Lula Livre’ para ter apoio do PT e recebe chuva de críticas

Redação AF -
Foto: Nielcem Fernandes
Petista levava bandeira de 'Lula Livre'

Considerado um crítico ferrenho da corrupção atrelada à velha política, Carlos Amastha (PSB) foi obrigado a segurar a bandeira do movimento petista ‘#LulaLivre’ para garantir o apoio do PT na eleição suplementar de 3 de junho. Além disso, ainda terá um petista como candidato a vice-governador, o histórico Célio Moura, advogado em Araguaína.

O ex-presidente Lula está condenado na Operação Lava Jato e cumprindo de 12 anos de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Uma fonte do AF Notícias revelou que os aliados de Amastha foram pegos de surpresa. “Jogaram um balde de água gelada. Muitos líderes desceram do palanque quando Célio Moura subiu com a bandeira Lula Livre. Não sei o que isso vai virar! O remendo ficou pior do que o rasgo. Depois de uma greve liderada pelo PT em Palmas, agora vão pedir votos para o Amastha”, pontuou.

A fonte revelou ainda que Célio Moura chegou na convenção carregando a bandeira e se posicionou na frente de Amastha enquanto ele discursava.

Contudo, a fonte ameniza: “É mais fácil engolir a imagem do PT com Amastha do que Siqueira e Gaguim no mesmo palanque (com Carlesse)”, argumentou.

Analisando por centenas de comentários na página oficial do candidato no Facebook, a aliança com o PT foi rejeitada em ‘gênero, número e grau’.

Resta saber se o candidato a governador vai aderir à tendência petista de adotar o sobrenome Lula, passando a assinar como ‘Carlos Lula Amastha’.

Foto: Divulgação
Amastha fecha aliança com PT

Comentários pelo Facebook: