Sobral – 300×100
Seet

Gaguim, Dulce, Josi, Botelho e Dorinha são contra investigação de Temer por corrupção

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Deputados federais do Tocantins

Com exceção de Irajá Abreu e César Halum, a bancada federal tocantinense votou em peso para barrar o prosseguimento da denúncia contra o presidente da república Michel Temer pelo crime de corrupção passiva. Temer é o primeiro presidente da República a ser alvo de acusação formal por um crime comum durante o exercício do mandato.

Dos 8 deputados do Tocantins, 5 votaram a favor do arquivamento da denúncia, 2 contra e houve 1 ausência.

Contra a investigação

Apoiaram Temer os deputados Carlos Gaguim, Dulce Miranda, Josi Nunes, Lázaro Botelho e Professora Dorinha. Apenas Halum e Irajá foram a favor da investigação. O deputado Vicentinho Júnior não compareceu.

Gaguim votou sim “por mais recursos para o Tocantins”. Dulce Miranda, primeira-dama do Estado, também votou em apoio a Temer “pelo crescimento do nosso país”. Lázaro Botelho justificou seu voto favorável ao presidente “para o Brasil não parar”. Já a professora Dorinha disse apenas estava seguindo a orientação do seu partido.

Votos a favor da investigação.

Halum afirmou que está há 29 anos na vida pública e sempre se pautou pela coerência, transparência e combate à corrupção. “Votei a favor do impeachment [de Dilma] e voto a favor do prosseguimento das investigações”, declarou.

Irajá Abreu destacou que ninguém está acima da lei, nem mesmo o presidente da república. “Por isso, conforme a minha consciência, e em respeito a 95% da vontade dos brasileiros, sou favorável às investigações”, afirmou.

O início da sessão foi marcado por sucessivas tentativas de obstrução da oposição, com requerimentos e questões de ordem, tumulto e empurra-empurra entre os deputados, e notas de dólar jogadas ao alto, além de deputados passeando pelo plenário com uma mala cheia de ‘dinheiro’.

Comentários pelo Facebook: