Seet
Sobral – 300×100

Defesa de policial civil preso diz que operação pareceu mais ‘espetáculo circense’

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
O policial foi preso na última quinta-feira, 02

A defesa do policial civil Ademael das Neves Conceição, preso em Araguaína (TO) por suspeitas de participação em tráfico de drogas, classificou a “Operação Detalhes” como um “espetáculo circense”, inclusive com superprodução de um vídeo divulgado nas redes sociais, digno de cinema. Em nota de repúdio, o advogado Wendel Oliveira também questionou o modo como a família do suspeito foi tratada por alguns de seus integrantes.

Ademael foi preso na manhã da última quinta-feira (02/06). Ele e mais dois policiais são acusados de corrupção passiva, violação de sigilo funcional e associação para o tráfico de drogas. Os policiais foram detidos durante a Operação Detalhes, realizada pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic/Norte), com apoio de Operações Táticas Especiais (Gote), Diretoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública e da Deic Sul-Gurupi.

Segundo o advogado Wendel Araújo de Oliveira, o policial Ademael nunca teve envolvimento com atividades criminosas. “Não podemos compactuar com o desrespeito a qualquer cidadão que seja, em especial ao Policial Ademael a que todos do meio policial sabe, que se dedica continuamente ao trabalho com esmero e nunca em toda a sua vida teve qualquer envolvimento com atividade criminosa seja de qualquer natureza” afirma a nota.

A defesa do policial ainda exigiu que a presunção de inocência, assim como o direito à ampla defesa e ao contraditório sejam “rigorosamente observados”. Ainda segundo o advogado, profissionais e pessoas inocentes foram expostos a constrangimentos totalmente injustificados, descabidos e inaceitáveis perante os seus familiares.

A nota também destaca a bravura de Ademael. “Por todos os lugares que o mesmo passou sempre se mostrou apto ao serviço público e com altivez ladeou importantes investigações de crimes de imensa gravidade e repercussão local, muitas vezes com o sacrifício da própria vida”, afirma.

Confira a nota toda

NOTA DE REPÚDIO

“A Defesa do Policial Civil ADEMAEL DAS NEVES CONCEIÇÃO, após análise minuciosa do contexto dos autos da Ação Penal nº 0008625-70.2016.827.2706 em trâmite perante o Juízo da 2ª Vara Criminal e Execuções Penais de Araguaína, vem a público repudiar veementemente a forma desrespeitosa com que a Família Polícia Civil Estadual do Tocantins foi auto tratada no dia de ontem (02/06/16) por alguns de seus integrantes, por ocasião da prisão e condução de Policiais Civis lotados na cidade de Araguaína/TO.

Somos partidários à guia de investigações sérias e responsáveis, moderadas no interesse público e nas garantias constitucionais das quais todos os agentes públicos tem o dever de ser guardião. Exigimos que a presunção de inocência, assim como o direito à ampla defesa e ao contraditório, pilares da nossa democracia sejam rigorosamente observados. Não podemos compactuar com o desrespeito a qualquer cidadão que seja, em especial ao Policial ADEMAEL a que todos do meio policial sabe, que se dedica continuamente ao trabalho com esmero e nunca em toda a sua vida teve qualquer envolvimento com atividade criminosa seja de qualquer natureza, por todos os lugares que o mesmo passou sempre se mostrou apto ao serviço público e com altivez ladeou importantes investigações de crimes de imensa gravidade e repercussão local, muitas vezes com o sacrifício da própria vida.

Por interesses ainda não totalmente compreendidos, mas que denotam intenções voltadas à repercussão midiática e fomentada por intrigas mesquinhas, a ”operação policial” denominada de “operação detalhes” pareceu mais com um espetáculo“circense”, inclusive com superprodução de um vídeo difundido por meio de mídias sociais digno de cinema, não se sabe por qual motivo, mas o mesmo já ultrapassou as barreiras do intuito pelo qual o mesmo foi criado e os danos são de difíceis reparações para a imagem de ADEMAEL e outros. Profissionais e pessoas inocentes, perante os seus familiares, foram expostos a constrangimentos totalmente injustificados, descabidos e inaceitáveis.

Destacamos que os Policiais Civis carregam nas costas uma notável parcela da segurança pública deste Estado. Além das ações de Polícia Militar e Bombeiro, viabilizam os trabalhos de investigações de crimes e vão em busca de soluções no combate a criminalidade que encontra-se desenfreada.

ADEMAL, por meio de sua defesa constituída, está acompanhando esse caso e tomará providências contra os abusos cometidos, espera e confia serenamente na Justiça do Estado do Tocantins.

Conclamamos os Policiais Civis Estaduais, para que não sejam complacentes com”encenações teatrais”, montadas para projetar pessoas e instituições, maculando a imagem e causando intrigas internas da Instituição e de seus integrantes.

Esperamos resposta da JUSTIÇA, sobre a sua participação neste infeliz episódio, bem como das medidas tomadas para evitar a prevalência de interesses escusos às custas da dignidade desse profissional da segurança pública chamado ADEMAEL DAS NEVES CONCEIÇÃO”.

RESPEITO! É o mínimo que se espera!

De Brasília para Araguaína, 03 de junho de 2016.

Wendel Araújo de Oliveira

ADVOGADO

OAB/DF 27669; OAB/MA 8879A; OAB/PE 1479A; OAB/PI 5844 e OAB/TO 5233A

Comentários pelo Facebook: