Sobral – 300×100
Seet

Delegado Rérisson avalia possível candidatura a deputado nas eleições 2018

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Delegado Rérisson Macêdo

Márcia Costa//AF Notícias 

O delegado de Polícia Civil de Araguaína, José Rérisson Macêdo está avaliando o cenário para uma possível candidatura a deputado estadual ou federal nas eleições 2018. O delegado se tornou muito conhecido na região por solucionar crimes bárbaros com grande repercussão.

Em entrevista ao AF Notícias, Rérisson afirmou que está avaliando essa possibilidade e a ideia será amadurecida, dependendo do apoio popular.

“O sentimento popular é de que o país precisa ser passado a limpo. As pessoas boas precisam estar na política. O cargo público precisa de pessoas íntegras”, defendeu. 

Rérisson Macêdo já adiantou que objetiva, caso eleito, trabalhar em prol dos interesses coletivos, e não de meramente particulares. “Minha história permite que eu coloque o meu nome à disposição da população para trabalhar e realmente ser pago para defender os interesses da comunidade, e não de particulares e nem de determinados grupos”, pontuou.

Na opinião de Rérisson, a presença de um delegado ou policial, dentro do quadro político, pode inibir ações irregulares como a corrupção e o desvio de verbas públicas que tanto prejudicam a prestação de serviços à população. “Precisamos de pessoas que cheguem ao parlamento e busquem realizar seu trabalho na promoção de leis e temas que realmente atendam o interesse público”, afirmou.

Segurança pública 

O delegado acredita que sua experiência na segurança pública pode contribuir com o Governo na promoção de ações e políticas públicas de combate à criminalidade.

Com a visão e experiência que tenho, dá para criar mecanismos para que tenhamos um sistema de segurança pública com mais investimentos. Também dá para apontar ao Governo do Estado diretrizes a serem adotadas para alcançar melhores resultados, otimizando o que já tem”, declarou.

Autonomia e liberdade para investigar

A liberdade e autonomia da polícia para investigar é um dos pontos defendidos pelo delegado. “Precisamos dar autonomia para as polícias. Autonomia de gestão, administrativa e financeira nas unidades. Elas precisam atuar com toda liberdade e alcançar criminosos, não só os que furtam galinhas, mas os grandes protagonistas que desviam milhões”, disse.

Para Rérisson, o desvio de verba é um dos maiores problemas da administração pública em geral. “Um grande problema é o desvio de verba pública, que vai pelo ralo milhões e milhões. Por causa do furto de uma galinha, que custa R$ 30, o ‘cara’ vai para cadeia, e o que desvia R$ 30 milhões continua no mesmo lugar”, comparou.

Nem todos sabem, mas o delegado Rérisson Macêdo é filiado há muitos anos ao PSDB. “Tenho recebido vários convites para outros partidos e estamos analisando. Afinal de contas, não defendo questão partidária, mas a população; não defendo partido político, defendo o povo”, frisou.

Experiência na política

Rérisson Macêdo tem 56 anos e é natural de Fortaleza (CE). Ele está no serviço público há 37 anos, foi vice-prefeito da cidade de Riachinho (TO) e prefeito por um ano, após renúncia do então gestor.

A esposa do delegado, Zilmia Luiza, foi a vereadora mais votada de Riachinho. ” E como operador do direito, busco apoio dentro da advocacia, Ministério Público, magistratura, policiais civis e militares e sociedade em geral”, finalizou Rérisson Macêdo.

Comentários pelo Facebook: