Sobral – 300×100
Seet

‘Erro da Justiça de Goiás’, afirmam delegados sobre prisão de pedreiro no lugar de assaltante

Agnaldo Araujo - | - 565 views
Foto: AF Notícias
Delegados Israel Andrade e Bruno Baeza que prenderam o trabalhador de Araguaína

Os delegados de Polícia Civil de Araguaína, Israel Andrade e Bruno Baeza esclareceram que o erro em prender o pedreiro Andresley Carlos, de 34 anos, no lugar de um assaltante que praticou um roubo em Goiânia, foi da Justiça do Estado de Goiás, que expediu o mandado de prisão para a pessoa errada. Andresley passou sete dias recolhido na Casa de Prisão Provisória de Araguaína por um crime que não cometeu.

“Se houve algum erro foi da Justiça em expedir um mandado de prisão para Andresley, pois não temos como saber se ele cometeu algum crime”, afirmou o delegado Israel Andrade, que estava de plantão no dia da prisão. O delegado acrescentou ainda que conferiu todos os dados de Andresley e batiam com os que constavam no mandado de prisão. “Aquela pessoa se tratava de Andresley, nome da mãe, CPF, identidade, estava tudo correto. Não me restou outra alternativa senão formalizar o cumprimento desse mandado de prisão”, acrescentou.

Conforme o delegado, o advogado de Andresley esteve na delegacia no mesmo dia e informou o erro na prisão, mas a soltura do predreiro dependia de ordem judicial. “Ele me apresentou uma foto e afirmou que o indivíduo que havia cometido o crime em Goiânia era totalmente diferente, mas por foto eu não posso olhar e decidir soltá-lo. O juiz emitiu a ordem de prisão e somente ele poderia revogar”, asseverou Israel Andrade.

O delegado Bruno Baeza foi quem cumpriu o mandado de prisão contra Andresley. Ele contou que a Polícia Civil de Araguaína recebeu informações de que um foragido da justiça estava trabalhando na cidade, o que foi confirmado pelos agentes. No dia seguinte, nós nos dirigimos até o local, localizamos o indivíduo e abordamos ele. Andresley apresentou seus documentos e nós verificamos que todos os dados dele realmente constavam naquele mandado de prisão”, afirmou.

“Eu informei a ele que o mandado estava sendo cumprindo porque todos os dados que constavam no mandado de prisão estavam corretos. Então nós cumprimos e encaminhamos ele para a central de flagrantes de Araguaína”, disse.

O delegado ainda pontuou que a Polícia Civil de Araguaína prendeu a pessoa que o Poder Judiciário do Goiás mandou que fosse prendida. “Todos os dados conferiram, então nós realizamos a prisão. Não houve a prisão de uma pessoa equivocada. A pessoa que foi presa efetivamente foi aquela que a Justiça do Goiás mandou prender” finalizou.

Entenda

Andresley Carlos foi preso no dia 21 de junho de 2017 quando estava no seu local de trabalho em razão de um mandado de prisão expedido pela Comarca de Goiânia, por um suposto roubo de veículo ocorrido em maio de 2013.

O pedreiro só foi liberado nesta quarta-feira (28), sete dias depois. Andresley Carlos perdeu seus documentos e os advogados de defesa acreditam que um terceiro os encontrou e usou para praticar o crime. Esse criminoso foi condenado, cumpriu parte da pena e fugiu, sempre se passando pelo pedreiro.

O criminoso teria sido preso em flagrante na cidade de Goiânia, em maio de 2013. Ele ainda teria cumprido parte da pena, progredido ao regime semiaberto, e foragido no dia 28 de fevereiro de 2014.

Foto: Arquivo pessoal
O pedreiro foi preso por engano

Veja mais

Justiça erra e prende trabalhador de Araguaína no lugar de assaltante que praticou roubo em Goiânia

Comentários pelo Facebook: