Sobral – 300×100
Seet

Governo Federal vai retomar mais de 1.500 obras paralisadas, informa senador Ataídes Oliveira

Redação AF - |
Foto: Divulgação
Senador Ataídes participou da reunião em Brasília.

 

O governo federal vai retomar de imediato mais de 1.500 obras paralisadas, entre creches, quadras esportivas em escolas, obras de saneamento, urbanização de assentamentos precários, infraestrutura turística, rodovias, aeroportos, centros de artes e esportes, recursos hídricos e prevenção em áreas de risco. O compromisso foi firmado nesta segunda-feira (8) pelo presidente interino Michel Temer em audiência pública com o presidente do PSDB/TO, senador Ataídes Oliveira, e o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.

“Vão ser mais de R$1,8 bilhão investidos na conclusão dessas obras, estimadas, cada uma, entre R$ 500 mil e R$ 10 milhões. Isso significa não apenas melhoria da nossa infraestrutura e da qualidade de vida da população, como mais renda e emprego em nossos municípios”, comemorou o senador Ataídes, após a audiência.

Comissão Especial

Ele informou também que, sendo confirmado o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, o presidente Temer pretende concluir até 2018 outras 365 obras de maior porte, estimadas entre R$ 10 milhões e R$ 100 milhões cada. “Para isso serão necessários mais R$ 7 bilhões. Mas acredito que, com o impeachment e os novos rumos da economia ditados pela equipe do presidente Temer,  haverá dinheiro em caixa para tocar essas obras e colocar um fim nesse desperdício bilionário e absurdo de recursos públicos”, ponderou o senador tocantinense.

A multiplicação de obras inacabadas e paralisadas pelo país tem sido uma das grandes preocupações de Ataídes desde 2013, quando apresentou projeto de lei para tentar sanar o problema. No ano passado ele assumiu a presidência da Subcomissão de Obras Inacabadas ligada à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle (CMA) do Senado. Nesta quarta-feira, o Plenário deve aprovar requerimento de sua autoria para a criação de uma Comissão Especial que vai acompanhar e fiscalizar a retomada das obras.

Comentários pelo Facebook: