Sobral – 300×100
Seet

TSE detecta mais de 700 títulos duplicados no Tocantins após biometria

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Praticamentos todos os eleitores do Tocantins realizaram o cadastramento biométrico

A Justiça Eleitoral encontrou 724 registros de título de eleitor duplicados ou múltiplos no Tocantins após o cadastramento biométrico realizado com cerca de 99% do eleitorado. Em Araguaína, a segunda maior cidade do Estado, foram encontrados 55 títulos nessa situação, em Palmas 107, e na terceira maior cidade do Tocantins, Gurupi, 169.

Na maioria das cidades foi encontrado título acima da quantidade de eleitor apto a votar. Já Aragominas, Bandeirantes, Campos Lindos, Carmolândia são exemplos onde não foram registrados nenhum título excedente.

Em todo o Brasil, o TSE encontrou aproximadamente 25 mil registros de títulos de eleitor duplicado ou múltiplo. Segundo o secretário da Secretaria de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Giuseppe Dutra, uma única pessoa foi encontrada com 52 títulos de eleitor. “Ele tinha 52 títulos de eleitor, logo 52 identidades, 52 CPFs. Se tem 52 CPFs, poderia retirar 52 benefícios do governo como o Bolsa Família ou o INSS”, disse.

OBJETIVO

Segundo o TSE, a identificação biométrica é necessária para garantir que o eleitor seja único no cadastro eleitoral. “Não há duas digitais no mundo. Evita-se, assim, a possibilidade de uma pessoa se passar por outra no momento da votação”, disse Janino.

O cadastro das biometrias começou em 2008, em um projeto piloto em três municípios do Brasil que, juntos, tinham mais de 40 mil eleitores: Colorado do Oeste (RO), São João Batista (SC) e Fátima do Sul (MS). A Justiça Eleitoral estima que até 2022 todos os eleitores já tenham cadastramento biométrico, porém o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, disse que isso seria possível até 2020.

SITUAÇÃO POR ESTADO

Apenas Alagoas, Sergipe, Tocantins e o Distrito Federal praticamente finalizaram o processo de recadastramento biométrico, com a coleta das digitais de mais de 99% de seus eleitores. Os dados são do dia 8 de outubro de 2017.

Segundo o TSE, Rio de Janeiro (10,88%), Minas Gerais (16,73%) e Mato Grosso do Sul (19,48%) são os três Estados com o menor índice de recadastramento biométrico entre os eleitores. Nas capitais Rio de Janeiro e Belo Horizonte, o processo ainda é ordinário, ou seja, não é obrigatório.

São Paulo é o quarto Estado com o menor índice de recadastramento, com 28,08%. Na capital, onde há 8,89 milhões de eleitores e o processo ainda não é obrigatório, 35% já fizeram seu registro biométrico.

Veja a situação por Estado.

Veja a situação por Município.

(Com informações – Estadão)

Comentários pelo Facebook: