Pedido de fiscalização

Ambulantes clandestinos prejudicam trabalhadores legalizados nas ruas de Araguaína

Cerca de 40 vendedores possuem permissão para atuar na Avenida Cônego João Lima.

Por Márcia Costa 1.057
Comentários (0)

04/12/2020 15h35 - Atualizado há 1 mês
Vendedores cadastrados possuem autorização para exercerem as atividades

Os vendedores ambulantes que estão devidamente cadastrados para atuarem legalmente em Araguaína estão sendo prejudicados pelos clandestinos que têm ocupado os espaços nas calçadas da cidade. A categoria cobra mais fiscalização por parte do poder público.

Atualmente, cerca de 40 trabalhadores fazem parte da Associação de Vendedores Ambulantes da Cônego João Lima e possuem registro como microempreendedor individual.

Conforme a categoria, os camelôs que chegam de outras cidades estão vendendo seus produtos nas portas das lojas e, além de prejudicarem os próprios lojistas, ainda estão atrapalhando as atividades dos vendedores legalizados, gerando uma concorrência desleal.

“A avenida está uma bagunça! Está sendo invadida por gente que não tem cadastro na prefeitura. Estão ficando nas portas das lojas, o que é proibido, pois temos um acordo com a Aciara para não fazer isso. Todos os cadastrados já possuem seus pontos em locais estratégicos, nas esquinas”, disse Raimundo Carlos, presidente da associação.

Segundo ele, caso haja fiscalização todos os dias, o problema será resolvido e a avenida ficará mais organizada.

“Sempre tivemos apoio do Poder Público. Esses vendedores chegam de fora e fazem o que querem aqui. Eles não contribuem com o município. Nós somos daqui e pagamos por isso. Somos comerciantes, empreendedores individuais e consumidores araguainenses”, afirma.

DIRETOR DE FISCALIZAÇÃO COMENTA CASO

O diretor do Departamento de Posturas e Edificações do município (Demupe), Nicácio Rodriguez, afirmou que as equipes de fiscalização estão monitorando a presença dos clandestinos principalmente neste final de ano. Segundo ele, os ambulantes que não tem cadastro junto à prefeitura poderão ter suas mercadorias apreendidas.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.