Fim da Greve

Em poucas horas, Amastha encerra greve de fome e CGU avisa que não se envolve em política

O ex-prefeito foi recebido na CGU, mas sem coletiva de imprensa.

Por AF Notícias 2.102
Comentários (0)

27/07/2020 13h20 - Atualizado há 1 ano
O superintendente da CGU disse o órgão não se envolve em 'meandros políticos'

O jejum do ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), durou só algumas poucas horas. Ele havia se acorrentado numa árvore e começado uma greve de fome na porta da Superintendência Regional da Controladoria Geral da União (CGU), na manhã desta segunda-feira (27).

Depois da cena e de muitos posts nas redes sociais, o presidente do PSB no Tocantins foi recebido pessoalmente pelo superintendente da CGU no estado, Leandro da Cruz Alves, mas sem a tão exigida coletiva de imprensa.

Amastha entregou ao superintendente o que, segundo ele, seriam as provas de sua inocência no suposto esquema criminoso que desviu cerca de R$ 15 milhões dos cofres da Prefeitura de Palmas com aluguel de veículos. O ex-prefeito foi um dos alvos da Operação Carta Marcada, da PF.

Após algumas justificativas, o ex-prefeito alegou inocência e solicitou que o órgão tome as devidas providências. O superintendente ouviu com atenção e se limitou a dizer que a CGU não se envolve em política.

"A CGU é um órgão técnico, não se envolve em meandros políticos. É claro que no trabalho de fiscalização vai ter sempre opiniões diversas, por isso o Judiciário está para harmonizar as coisas. Tentamos fazer o melhor possível para cumprir a missão institucional da CGU que é zelar pelo recurso público”, afirmou.

Greve dos professores 2017

Em 2017, durante a gestão do ex-prefeito, quando alguns professores da rede municipal de ensino da capital fizeram greve de fome para tentar negociar com a gestão, não houve diálogo.

O próprio Amastha se negou a receber os representantes da categoria e decidiu contratar professores substitutos alegando que a greve seria ilegal. Durante uma coletiva de imprensa, no dia 22 de setembro de 2017, o colombiano cravou: "Não tem diálogo com quem está faltando ao trabalho".

 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.