Operação Ápia

Justiça libera os quatro presos ligados à construtora de Araguaína; empresa faturou R$ 142 milhões

Por Redação AF
Comentários (0)

29/10/2016 11h12 - Atualizado há 1 mês
O juiz da 4ª Vara Federal de Palmas liberou ainda nesta sexta-feira (28), durante audiência de custódia, os quatro presos na 2ª fase da Operação Ápia ligados à Construtora Rio Tocantins (CRT), de Araguaína, do empresário Rossine Aires Guimarães. Haviam sido presos pela Polícia Federal Janaína Aires Guimarães (filha do sócio majoritário Rossine que está em prisão domiciliar); Cid Hoffman (administrador da empresa), Jairo Arantes (sócio minoritário); e Luciene da Silva Oliveira (secretária da CRT). A justiça determinou aos suspeitos o pagamento de fiança no valor de R$ 50 mil. Eles ainda terão que se apresentar de 30 em 30 dias à Justiça e não poderão manter qualquer contato com nenhum dos investigados na operação. A Construtora Rio Tocantins faturou aproximadamente R$ 142 milhões em obras de terraplanagem e pavimentação nas rodovias TO-010 e TO-404 (R$ 32.674.797,68); nas TO-164 e TO-342 (R$ 60.617.506,25); e na TO-342 (R$ 48.500.007,19). Segundo a Polícia Federal, os quatro investigados da CRT têm poder decisivo nas atividades da construtora e continuavam praticando ilícitos mesmo após o início da investigação. “Teriam eles participação direta no arquétipo criminoso objeto da presente investigação, e estariam, até o presente momento, cometendo crimes em série”. A Operação Ápia desenvolvida pela PF, Ministério Público Federal (MPF) e Controladoria Geral da União (CGU) investiga supostas fraudes em licitações públicas de obras de terraplanagem e pavimentação asfáltica em 29 rodovias estaduais. Os contratos correspondem a R$ 1,2 bilhão e o total desviado dos cofres públicos pode chegar a R$ 200 milhões. Sete empresas foram citadas pela Polícia Federal e são suspeitas de estarem envolvidas no esquema de fraude. São elas: Empresa Projetos de Engenharia LTDA., CRT Construtora – Rio Tocantins, MVL Construções, Construtora Barra Grande, CCM – Construtora Centro Minas, CSN Engenharia LTDA. e EHL – Consócio EHL. O esquema envolveu gestores e servidores entre os anos de 2013 e 2014.

Comentários (0)

Mais Notícias

Outros 9 convocados

Amastha é convocado para depor dia 30 na CPI que investiga rombo no PreviPalmas

Os depoimentos estão marcados para os dias 30 deste mês e 6 de novembro.

Tocantins

MPE pede afastamento de prefeito por farra de contratações e gastos excessivos

O MPE requer ainda que seja determinada a redução de 20% nos gastos em 30 dias.

ASTT

Mais de 220 veículos apreendidos em Araguaína serão leiloados em novembro

Segundo o edital, todos os veículos estão na modalidade circulação e foram recolhidos durante operações de fiscalização.

Protesto

Moradores plantam pés de banana no meio de rua esburacada no norte do Estado

Moradores também reclamaram do atraso nas obras de pavimentação.

Trânsito

Acidente em rotatória mata jovem e deixa outro gravemente ferido em Palmas

Moradores reclamam que não há iluminação e a sinalização é precária na rotatória.

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.