Tocantins

Prefeitura mantém 1.152 servidores em contratos temporários no Estado; MPE cobra concurso

Por Agnaldo Araujo
Comentários (0)

02/07/2018 14h20 - Atualizado há 1 semana
O Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com uma ação na Justiça para obrigar o município de Porto Nacional a realizar concurso público para substituir todos os servidores contratados de maneira irregular e se abster de realizar novas contratações sem concurso. Segundo informação apurada pela 5ª Promotoria de Justiça de Porto Nacional, o município mantém atualmente 1.152 servidores em contratos temporários, número considerado absurdo pelo Promotor de Justiça Vinícius de Oliveira e Silva, autor da ação. O representante do MPE decidiu atuar na esfera judicial após o prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia Leite Neto, descumprir Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), por meio do qual havia se comprometido a lançar o edital do concurso público até janeiro de 2018. Em razão disso, a 5ª Promotoria também requer à justiça que seja executada a multa que estava prevista no TAC para o caso do descumprimento dos termos e prazos previstos. Segundo constava no acordo, deve ser imposta multa ao prefeito no valor de R$ 30 mil, em razão da não realização do concurso público e da manutenção irregular de servidores comissionados. A esse valor, deve acrescida multa mensal de R$ 5 mil, proporcional ao tempo em que a situação de irregularidade persistir após o prazo final previsto no Termo de Ajustamento de Conduta. Segundo o artigo 37 da Constituição Federal, o concurso público deve ser a regra para o ingresso de servidores no serviço público e a admissão de pessoal por contrato deve ocorrer apenas em situações de excepcionalidade previstas em lei específica. (Com informações do MPE)

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.