Palmas

Sob fogo cruzado, nova secretária alfineta governo e tenta justificar gastos de R$ 20 milhões

A nota revela que Palmas recebeu mais de R$ 33 milhões para enfrentamento da pandemia.

Por AF Notícias 1.186
Comentários (0)

06/08/2020 15h45 - Atualizado há 1 mês
Governo e município não se entendem sobre ações de combate a Covid-19 na capital

A assistente social e mestre em saúde pública Valéria Silva Paranaguá assumiu o comando da secretaria municipal da Saúde de Palmas no momento mais crítico da pandemia e sob intenso fogo cruzado entre a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) e o Governo do Estado, em relação às medidas de enfreamento da Covid-19.

Após a indigesta nota emitida pelo secretário de Estado da Saúde, Edgar Tollini, via Palácio Araguaia, na última terça-feira (4), dando sugestões à prefeita caso ela decidisse investir os recursos recebidos do Ministério da Saúde para enfretamento da pandemia do novo coronavírus, a nova secretária de Palmas providenciou a réplica e divulgou à imprensa nesta quinta-feira (6).

RÉPLICA

Na nota, Valéria Paranaguá tenta minimizar a responsabilidade da Prefeitura de Palmas em relação ao tratamento de pacientes graves da covid-19 ao afirmar que cabe ao município [apenas] os atendimentos de saúde básica e baixa complexidade. Já a média e alta complexidade são de competência do Governo Estadual, afirma a secretária.

A nota ainda revela que Palmas recebeu mais de R$ 33 milhões para o enfrentamento da pandemia e já contratou mais de R$ 20 milhões em ações como a aquisição e requisição de leitos de UTI Covid, contratação de pessoal, compra de equipamentos e insumos, além de kits de testes contra Covid-19.

A nova secretária aproveita para alfinetar o governador Mauro Carlesse em relação ao anunciado, prometido e esquecido Hospital de Campanha. A nota diz que a prefeitura concordou com a instalação da unidade no Espaço Cultural, há três meses, mas o projeto não saiu do papel.

No início da pandemia, o Governo anunciou oficialmente a implantação de três hospitais de campanha para tratamento de pacientes com a Covid-19 nas cidades de Palmas, Araguaína e Gurupi, mas não conseguiu os recursos necessários.

NOTA DA NOVA SECRETÁRIA

"Desde o início da pandemia, Palmas adotou medidas urgentes e restritivas, por meio de decretos, protocolos e ações que contribuíram, e muito, para o achatamento da curva de contaminação. O Município é responsável pelo atendimento de saúde básica e de baixa complexidade. Os atendimentos de média e alta complexidade são de competência do Governo Estadual.

O Município também, prontamente atendeu ao Governo do Estado e consentiu o uso do Espaço Cultural para a instalação de um hospital de campanha, conforme pleito apresentado há cerca de três meses. A Prefeitura de Palmas informa que de R$ 33,1 milhões destinados ao enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, já contratou mais de R$ 20 milhões em diversas ações, dentre as quais:

- aquisição de mais 9 leitos de estabilização na UPA Sul e 12 leitos na UPA Norte, todos com respiradores, monitores, desfibriladores, bomba de infusão, usina de oxigênio e outros equipamentos para os pacientes com Covid-19;

- requisição de 18 leitos clínicos na rede hospitalar privada, com todo o aporte diagnóstico e terapêutico necessário, mediante pagamento semanal;

- aquisição de 15 mil kits de testagem para Covid-19 (outros 20 mil estão em fase de aquisição), além de medicamentos, equipamentos de proteção individual e outros insumos;

- implantou quatro unidades Sentinelas para receber pacientes que apresentem sintomas da Covid-19;

- expandiu os horários de atendimento nas unidades de Saúde do município e contratou, só para atendimento à Covid-19, mais 44 profissionais, sendo 10 enfermeiros, 15 médicos e 19 técnicos de enfermagem.

Origem dos recursos

Do total de R$ 33,1 milhões creditados até esta quarta-feira, 05 de agosto, exclusivamente para o enfrentamento da Covid-19, R$ 13,767 milhões são de repasses da União (incluindo emendas parlamentares) e R$ 19,347 milhões são recursos próprios, que incluem a arrecadação municipal e o rateio da participação na arrecadação da União e Estado do Tocantins, como o FPM e o ICMS, respectivamente, dos quais foram destacados para o enfrentamento da doença.

Valéria Paranaguá | Secretária Municipal de Saúde – Palmas/TO"

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.