EM XAMBIOÁ

Temer acredita ter o apoio do povo tocantinense e disse que volta à Brasília ‘com a alma incendiada’

Por Redação AF
Comentários (0)

14/09/2017 17h38 - Atualizado há 1 semana
Em seu discurso, durante a cerimônia em que assinou a ordem de serviço para a construção da ponte que ligará Xambioá a São Geraldo PA, o presidente Michel Temer (PMDB) disse, entre outras coisas, que sai do Tocantins ‘com a alma incendiada’. O gestor afirmou ainda que volta para a capital brasileira mais disposto a dirigir o país com o apoio do povo. Temer também usou o momento da inauguração da obra para descrever inúmeras pontes que ele acredita ter construído durante sua gestão. Entre elas, “a pacificação entre os brasileiros”. Após as inúmeras  analogias com a palavra ponte, o presidente destacou a importância da obra que inaugurou hoje. “De todas as pontes que eu construí eu levo daqui a sensação que a ponte mais importante que eu vou construir é a que liga Xambioá a São Geraldo”, enfatizou. Diante de tamanha importância, Temer ressaltou que falaria com o ministro da Fazenda,  Henrique Meirelles, para que não faltem recursos para a ponte, cuja construção deve ser iniciada apenas em janeiro. O presidente não mencionou o tempo de duração da obra, apesar de desejar que ela seja entregue antes do fim de seu mandato. "Mas acho difícil", analisou. A PONTE A ponte ligará Xambioá a São Geraldo, no Pará. A obra terá um investimento total de R$ 132 milhões. Conforme a assessoria do Palácio do Planalto, R$ 25 milhões já estão empenhados com a assinatura do presidente. O ministério dos Transportes prevê oficialmente como montante total de investimento para a ponte R$ 280 milhões. DENÚNCIAS Um dia depois do Supremo Tribunal Federal (STF) não aceitar suspender a atuação do procurador Rodrigo Janot, Temer também usou uma parte de seu discurso para criticar o “abuso de autoridade”. Temer não respondeu às perguntas dos jornalistas presentes e insistiu na reflexão: “Nós não somos autoridades, somos autoridades constituídas. A única autoridade existente no sistema é a lei e a Constituição. Então, quando se fala em abuso de autoridade, eu costumo dizer que não é abuso de autoridade contra o presidente, contra o governador, contra o deputado, é quando alguém ultrapassa o limite da lei, dai é que há violação da autoridade, uma coisa que devemos evitar no Brasil”, disse. O presidente assinou o termo para a construção da ponte ao lado do governador do Estado, Marcelo Miranda (PMDB), que é investigado e foi obrigado a depor no mês passado.   (Com informações da Revista Exame)  

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Nas Redes
Nosso Whatsapp
063 9 9242-8694
Nosso Email
redacao@arnaldofilho.com.br
Copyright © 2011 - 2018 AF Notícias. Todos os direitos reservados.