Vistoria

MPTO encontra equipamento de saúde até dentro de banheiro durante vistoria em Palmas

O Ministério Público vai recorrer à justiça caso os problemas não sejam resolvidos.

Por Redação 1.048
Comentários (0)

27/10/2020 12h23 - Atualizado há 1 mês
Equipamento guardado dentro de banheiro

O Ministério Público do Tocantins (MPTO) realizou nesta segunda-feira (26) mais uma vistoria de rotina em unidades de saúde de Palmas e constatou diversas irregularidades.

O promotor Thiago Ribeiro esteve no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), no Centro de Saúde da Comunidade Francisco Júnior (CSC) e no Ambulatório de Atenção à Saúde Dr Eduardo Medrado (AMAS).

O relatório produzido pela 19ª Promotoria de Justiça da Capital apontou déficit na estrutura predial do CEO, necessidade de cobertura completa da copa e banheiros sem porta. Além disso, é necessário a instalação de um novo exaustor na sala de prótese dentária e a aquisição de um novo aparelho de Raio-X.

No Centro de Saúde da Comunidade também foram constatados banheiros sem porta, além de piso danificado e falta de estrutura na farmácia da unidade para atender à comunidade.

Já no Ambulatório, a equipe de vistoria constatou que um aparelho de oftalmologia estava sem uso e colocado irregularmente dentro do banheiro da unidade.

Na sala de insumos, foi constatada a falta de ácido para colposcopia e do anestésico xilocaína. A equipe de vistoria também identificou lixo acumulado no entorno da unidade de saúde.

Ainda no Ambulatório, o MPTO ouviu reclamações dos servidores da unidade alegando falta de estrutura no prédio e infiltrações e goteiras que ocasionaram alagamentos em decorrência das chuvas das últimas semanas. Os servidores também se queixaram de férias acumuladas sem previsão de gozo, o que tem causado exaustão da equipe e prejudicado a qualidade nos atendimentos da unidade.

Diante das constatações, o promotor Thiago Ribeiro afirmou que o Ministério Público adotará medidas administrativas como expedição de ofício e recomendação para sanar as irregularidades. “Caso não seja resolvido, a demanda poderá ser judicializada”, pontuou.

(Luiz Melchiades/Ascom MPTO)

Promotor faz vistoria de rotina em unidades de saúde de Palmas
Banheiro sem porta em unidade de saúde
Infiltrações em unidade de saúde de Palmas

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.