Denúncia

Nova gestão do plano de saúde será 75% mais cara, quase R$ 1,2 milhão por mês, diz Sisepe

Os servidores foram pegos de surpresa com a mudança na gestão do plano.

Por Redação 884
Comentários (0)

13/08/2020 12h08 - Atualizado há 1 mês
Plansaúde agora será chamador de Servir

O novo contrato de gestão do Servir (ex-Plansaúde), anunciado pelo Governo do Estado, tem um custo adicional de 75% por mês. A Secretaria Estadual de Administração (Secad) anunciou nessa quarta-feira (12) a rescisão do contrato com a Infoway - atual gestora do plano de saúde.

O Governo divulgou que a nova operadora será uma empresa chamada 'Omini', contudo, o contrato publicado no Diário Oficial do Estado foi assinado em nome de I-Tech Soluções de Informática para Sistemas de Saúde Ltda.

O custo mensal vai saltar dos atuais R$ 679 mil para R$ 1.185.600,00. Conforme o Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe), há muitas perguntas sem respostas.

"Quais serviços a Infoway deixou de prestar? A Infoway foi paga, mesmo sem prestar o serviço completo? A falta de atendimento pela prestadora de serviço e profissionais em saúde ocorre em razão da Infoway ou por falta de pagamento pelo governo do Estado pelos serviços feitos?", questiona o sindicato.

O Sisepe disse que acionará o Ministério Público do Tocantins (MPTO) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-TO) para que adotem as providências cabíveis para esclarecer, de forma detalhada, o motivo da troca da operadora e o porque do contrato com a nova empresa ser tão mais caro, assim como a real situação dos pagamentos às prestadoras de serviço e aos profissionais de saúde.

"O problema do Plansaúde nunca foi o nome e nem apenas a operadora, mas sim a má gestão e o atraso nos repasses para as prestadoras e profissionais de saúde, que leva ao não atendimento dos servidores públicos. Então, não basta trocar o nome para Servir ou a operadora de Infoway para I-Tech", disparou o presidente do sindicato, Cleiton Pinheiro.

O Plansaúde abrange quase 90 mil usuários, sendo o maior plano de assistência à saúde no Tocantins.

Conforme o Sindicato, a prestação de contas do plano sempre foi precária, prejudicando o acompanhamento da gestão financeira. O Conselho Fiscal só foi nomeado por determinação da justiça e as reuniões não são realizadas de forma regular, sendo que a última ocorreu em dezembro do ano passado.

DETALHAMENTO

INFOWAY - Contrato nº 13/2012: R$ 8,148 milhões – 12 meses

Custo mensal de R$ 679 mil

I-TECH – Contrato nº 128/2020: R$ 7,113 milhões – 6 meses

Custo mensal de R$ 1.185.600,00

OBJETO DO CONTRATO: contratação de empresa especializada para oferecer soluções digitais (plataforma de software) com foco principal na gestão eletrônica, e na consultoria de administração de planos, para o Plansaúde.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2020 AF Notícias. Todos os direitos reservados.