Falta de repasses

Profissionais que atuam nas UTIs Covid estão com salários atrasados em Palmas, Araguaína e Gurupi

O ISAC culpou a falta de repasses do Governo do Estado e da Prefeitura.

Por Márcia Costa 1.432
Comentários (0)

15/01/2021 08h48 - Atualizado há 2 meses
Servidores da Saúde no Tocantins estão com salários atrasados

Profissionais da saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19 no Tocantins estão com os salários atrasados por causa da falta de repasses ao Instituto Saúde e Cidadania (ISAC), que gerencia os leitos de UTI nos Hospitais Regionais de Araguaína e Gurupi, bem como no Hospital Geral de Palmas.

O ISAC também é o responsável pela gestão da pandemia do coronavírus no município de Araguaína e administra o Hospital Municipal, a UTI Pediátrica e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Os salários também estão atrasados por falta de repasses da prefeitura.

Os colaboradores do instituto ainda aguardam o pagamento do salário referente ao mês de dezembro, que deveria ter sido quitado até o 5º dia útil de janeiro.

“Estamos com o salário de dezembro atrasado. Eles falam que não tem previsão de pagamento e não explicam nada. Esse mês ninguém recebeu, nem enfermeiros, técnicos, auxiliar de cozinha, administrativo, fisioterapeutas, técnico em laboratório e farmacêuticos, ninguém", disse um funcionário.

Aguardando Repasses

Em nota, o Instituto Saúde e Cidadania disse que está aguardando o repasse da Secretaria de Saúde do Tocantins referente às competências de novembro e dezembro, para efetuar o pagamento dos colaboradores que estão atuando nas UTIs Covid-19 nos hospitais regionais de Gurupi e Araguaína, assim como no Hospital Geral de Palmas.

Conforme a nota, em dezembro, o ISAC recebeu um repasse parcial referente à competência de novembro, que possibilitou o pagamento da folha. Desde então, aguarda novo repasse e quando confirmado o crédito em conta, o pagamento dos profissionais, referente à competência de dezembro, será realizado de imediato.

Sobre Araguaína, a empresa disse que aguarda repasse de recursos por parte da Prefeitura e está em constante contato com o poder público a fim de resolver a situação e pagar os colaboradores.

Segundo o instituto, para cada projeto que o ISAC gerencia é aberta uma conta específica e apenas os recursos do próprio contrato podem ser usados para pagamentos e manutenção do serviço. "Por uma questão legal, o ISAC é proibido de usar o recurso de outro contrato para pagar as despesas, inclusive de pessoal", explica.

“O ISAC lamenta o atraso ocorrido, afinal, o seu compromisso é de pagar em dia  todos os profissionais. De forma que se solidariza com os colaboradores e lembra que, por se tratar de recuso público para gestão específica por projeto, só pode efetuar o pagamento com recurso do contrato”, finaliza a nota.

O QUE DIZ O ESTADO

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que recebeu a prestação de contas do Instituto Saúde e Cidadania (ISAC) e que a documentação está sob análise da equipe técnica para posterior repasse financeiro.

O QUE DIZ A PREFEITURA DE ARAGUAÍNA

Com o início do ano, segundo a Prefeitura de Araguaína, houve alterações no sistema que realiza a transferência do valor. Por conta da situação, o repasse ainda não caiu, mas a Secretaria Municipal de Saúde está agilizando para resolver a situação e fazer com que o valor caia na conta de repasse.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2021 AF Notícias. Todos os direitos reservados.