Sobral – 300×100
Seet

Alunos de Aragominas que estudavam em barracão de madeira iniciam o ano letivo em nova escola

Redação AF -
Foto: Divulgação/DRE
Por meio da parceria, os governos estadual e municipal solucionam a demanda da população de ofertar atendimento igualitário para alunos de ambas as redes

O velho barracão de madeira já é passado para os alunos do assentamento Vitória Régia, localizado no município de Aragominas, região norte do Estado. O sonho de estudar numa escola confortável e apropriada se tornou realidade na segunda-feira (13) com o início do ano letivo na extensão da Escola Estadual Getúlio Vargas.

O novo prédio, que supre todas as necessidades estruturais para o funcionamento da escola, foi cedido pela prefeitura de Aragominas para sediar a extensão da unidade escolar estadual que passa a ofertar turmas do 6º ao 9º ano do ensino fundamental. Cerca de 50 estudantes que moram no assentamento estão sendo beneficiados com a parceria. No local já funciona a Escola Municipal Cirilo Ribeiro da Silva, que atende as séries iniciais.

A nova escola foi construída ao lado do antigo barracão de madeira onde aconteciam as aulas. Os alunos contam que acompanharam a edificação do prédio da escola municipal e que nem imaginavam que um dia estudariam numa escola como aquela. “Nem estou acreditando direito. Ficava olhando aquela escola e sonhando em estudar lá. Estou achando tudo lindo, pintado, com água encanada. Estou muito feliz e, com certeza, vou me esforçar muito mais agora”, relatou, deslumbrada, a estudante do 7º ano, Natália Alves Lima.

Foto: Divulgação/DRE
O prédio foi construída ao lado do antigo barracão de madeira onde aconteciam as aulas da escola estadual

O diretor Teodoro Ribeiro da Silva destacou a relevância da iniciativa para a evolução do aprendizado. “Há muitos anos as escolas aqui no assentamento funcionavam de forma precária. Eram barracões de madeira cobertos de telhas inadequadas, já tivemos até escola de palha que chegou a pegar fogo. Eram sempre lugares que não favoreciam um bom aprendizado. Nessa nova estrutura, certamente veremos os reflexos na melhoria do rendimento escolar”, ressaltou.

Segundo um dos assentados, Horácio Durval, a unificação do atendimento aos alunos na mesma escola era um antigo desejo da comunidade. “Era uma dificuldade muito grande para os alunos do Estado estudarem naquela escola quente, sendo que aqui do lado tinha uma escola tão boa só para os alunos do município. Em nome dos moradores aqui da região, agradecemos à prefeita e ao governador por essa mudança que acabou com a desigualdade entre os alunos. Estamos muito felizes porque a  educação é o futuro dos nossos filhos”, enfatizou.

Para receber os alunos, a Diretoria Regional de Educação (DRE) de Araguaína preparou uma aula inaugural com apresentações teatrais, atividades lúdicas, jogos, distribuição de brindes, dentre outras atividades para celebrar a conquista tão sonhada pelos moradores da região.

Foto: Divulgação/DRE
Festa durante a inauguração da escola.

A diretora Regional de Educação de Araguaína, Maria Florismar do Espírito Santo, relata como foi acordada a parceria entre estado e município. “Os estudantes estudavam numa situação precária: o barracão de madeira estava muito danificado e sem condições de oferecer uma Educação de qualidade àqueles estudantes. Então propusemos à prefeita de Aragominas essa parceria para atender aos estudantes no prédio da escola municipal do referido assentamento e fomos prontamente atendidos.”

Para a prefeita Eliete Alves de Melo, a iniciativa fortalece a educação no município. “Foi uma alegria poder atender os alunos do assentamento oferecendo um ambiente mais agradável, sejam eles alunos do município ou do estado. Eu, que tenho mais de 20 anos de experiência como professora, sei a importância de ações como essa. Em breve sei que veremos os resultados na melhoria no rendimento escolar”, avaliou.

Para que a extensão da escola estadual Getúlio Vargas funcione no prédio municipal, a Secretaria da Educação do Município disponibilizou cinco salas, além de custear o fornecimento de energia e água.  À Seduc coube garantir os pagamentos dos professores e servidores administrativos, a aquisição de equipamentos como impressora, computador, lousas, aparelho multimídia, televisor, além de todo o mobiliário escolar. A unidade também recebeu do governo estadual materiais pedagógicos, um freezer, um fogão, utensílios de cozinha, entre outros necessários para o funcionamento da escola.

Comentários pelo Facebook: