Sobral – 300×100
Seet

Capixaba diz que saúde de Araguaína só piorou com IBGH e questiona contrato milionário da Fundação Restaurar

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
O vereador solicita explicações sobre super-lotação e atraso de salários

O vereador de oposição João Batista Xavier (Batista Capixaba) apresentou quatro requerimentos na sessão da Câmara Municipal de Araguaína (TO), na última segunda-feira (06/06), para convidar secretários e diretores de empresas privadas a prestar esclarecimentos na Casa de Leis. Todos foram aprovados por unanimidade.

Um dos requerimentos convida o diretor do Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), Roberto Leandro, para esclarecer denúncias referentes à superlotação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Hospital Municipal, falta de alimentação, atraso de salário dos profissionais, demora de consultas, demora nos exames de laboratório e reduzido número de funcionários. O IBGH é o responsável pela gestão das unidades de saúde.

O vereador também afirmou que possui “vários documentos” que comprovam ilegalidades e irregularidades praticadas pelo instituto. “Eu tenho vários documentos aonde comprovam que servidores desse instituto, que atuaram em outra cidade,  fizeram ‘maracutaia’”, disse.

Para Capixaba, a saúde de Araguaína só piorou com a chegada do IBGH. “A gente observa que a saúde de Araguaína piorou. Está aí [o instituto] há um pouco mais de seis meses e às vezes falta alimentação na UPA, às vezes falta servidores no Hospital Municipal de Araguaína, falta exames no ambulatório e as coisas não estão acontecendo como deveriam acontecer”, asseverou.

Convite à primeira-dama

Outro requerimento do vereador convida a primeira-dama, Nil Dimas, para comparecer à Câmara com a finalidade de esclarecer sobre denúncias relacionadas à Fundação de Atividade Municipal Comunitária (Funanc), principalmente quanto ao financeiro da entidade, sobre a emissão de recibos manuais e a situação das funerárias que prestam serviço no município.

Segundo denúncias, os pagamentos da contribuição devida pelas funerárias à FUNAMC eram feitos em espécie, na própria fundação, e era fornecido apenas um recibo como prova do pagamento.

Buriti Serviços e Instituto Restaurar

Outro requerimento solicita que o representante da empresa Buriti Serviços, de Goiânia, o advogado José Carlos Chagas, também compareça à Câmara com a finalidade de esclarecer sobre o número de funcionários da empresa e os atrasos salariais que se tornaram constantes. A Buriti é responsável pela limpeza das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O último requerimento do vereador convida o diretor da Fundação Evangélica Restaurar para prestar esclarecimentos também sobre o atraso de salário dos funcionários, número de contratados, bem como o valor do contrato firmado com o Município, que é na ordem de milhões de reais, segundo o vereador. O instituto apenas terceiriza mão-de-obra na Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura. Para o vereador, essa terceirização é ilegal. Acrescentou ainda que, só este ano, a Fundação já recebeu mais de R$ 6,6 milhões.

De acordo com Batista Capixaba, os requerimentos são para esclarecer à Câmara e à sociedade araguainense sobre as denúncias que têm sido repercutidas tanto na imprensa quanto nas redes sociais.

Comentários pelo Facebook: