Seet
Sobral – 300×100

Hospital Regional de Araguaína deve aderir à greve ainda esta semana

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
Servidores públicos do Estado fazem protesto em frente ao Palácio Araguaia, sede do Governo do Estado

Servidores públicos que atuam no Hospital Regional de Araguaína (HRA) devem aderir ao movimento grevista até o final desta semana. A informação foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado do Tocantins (SEET), Claudean Pereira. O HR de Araguaçu também deve aderir ao movimento.

Há mais de dez dias que a enfermagem aderiu à greve geral dos servidores públicos do Estado. O movimento, que iniciou no dia 12 de agosto, já conta com nove unidades paralisadas, sendo elas: os hospitais regionais de Paraíso, Porto Nacional e Miracema; o Hospital e Maternidade Tia Dedé; os três hospitais da capital (Hospital Infantil, Hospital Geral de Palmas e Hospital e Maternidade Dona Regina); o Hospital Regional de Pedro Afonso, que iniciou o movimento no dia 18 de agosto, e Guaraí, que iniciou o movimento na última segunda-feira (22/08).

Reinvindicações

Os servidores públicos do Estado se uniram para cobrar do governo o pagamento do passivo da data-base de 2015 e implementação da data-base de 2016.

Segundo o presidente do SEET, Claudean Pereira Lima, a adesão nas unidades vem ocorrendo gradativamente e crescente a cada plantão. Cerca de 50% do número total de profissionais da enfermagem nestas unidades já aderiram ao movimento.

Ainda de acordo com Claudean, o Governo do Estado vem demostrando a sua “total incapacidade em gerir o Estado”. “O que estamos presenciando é um governo ditatorial que não sabe gerir os problemas do Estado. É lamentável ver um governador que não tem a mínima capacidade de dialogar com os servidores e que insiste em colocar a culpa da sua incompetência nos profissionais. A enfermagem não aguenta mais trabalhar em um plantão em que a falta de materiais, insumos e alimentação são recorrentes. Perguntamos-nos: para onde vai o dinheiro deste Estado? A saúde, a educação, segurança, todos os setores estão um caos. O Governo do Estado não faz nem os repasses devidos aos municípios”, desabafou Claudean Pereira.

E essa situação ainda deve se perdurar, pois conforme informações do presidente do SEET, o Governo do Estado ainda não apresentou nenhuma proposta aos sindicatos das categorias em greve. “Os servidores estão em greve e este Governo não demostra nenhuma preocupação com a situação. Até o momento não recebemos nenhuma proposta por parte do Governo”, pontou Claudean Pereira.

O presidente do SEET afirmou ainda que o movimento grevista, deflagrado por tempo indeterminado, terá a adesão das demais unidades hospitalares gradativamente.

Comentários pelo Facebook: