Sobral – 300×100
Seet

Observatório Social está prestes a ser implantado em Araguaína

Agnaldo Araujo - |
Foto: Divulgação
O Observatório Social atua como entidade fiscalizatória

A cidade de Araguaína está prestes a constituir uma nova ferramenta de controle social sobre as ações dos poderes públicos com o Observatório Social. Com a parceria de empresários, profissionais liberais e sociedade civil, o Observatório atuará como entidade fiscalizatória, mas também parceira do município.

O diretor de relações institucionais do Observatório Social de Palmas, Sundar Singh, esteve em Araguaína para trazer os detalhes necessários para implantação. O encontro ocorreu no dia 23 de maio. “A iniciativa de expandir esse conceito para o interior do Estado veio de cidadãos de Araguaína que conheceram nosso trabalho e nos procuraram. Explicamos como o OS funciona e viemos compartilhar as informações com os interessados”, disse.

O OS atua no levantamento de licitações e acompanhamento de todo o processo até a finalização de obras ou entrega de materiais. “Há, inclusive, apoio na divulgação dos editais por meio de um sistema próprio nosso para que as micro e pequenas empresas sejam informadas e possam participar”, informou Sundar.

O papel do Observatório Social é apontar eventuais erros e propor soluções. “Acima de tudo, somos parceiros das gestões públicas municipais, nosso intuito é contribuir”, completou o diretor. A entidade também trabalha pela educação fiscal junto à população para conscientizar quanto ao papel de controle social sobre o dinheiro público.

Brasil Price

A Brasil Price (BP) é entusiasta do projeto e está trabalhando articulações junto à comunidade para fomentar a criação e manutenção da estrutura administrativa, contábil e jurídica, buscando as parcerias para o financiamento das atividades do Observatório, que, para mais independência, transparência e credibilidade, deve ser mantido pelos próprios cidadãos.

Segundo Ronaldo Dias, diretor da BP, as recentes mobilizações ocorridas em Araguaína em prol da segurança pública, impostos justos e fim da corrupção mostraram que nossa sociedade já está pronta para avançar em ações mais efetivas. “Somos um grupo aberto a adesões já que somente desta forma teremos força e respaldo para exigir que a lei seja cumprida e que nossos direitos sejam respeitados. Creio que Araguaína merece um Observatório Social porque nosso povo é ativo nas lutas sociais”.

Observatório Social de Palmas

Implantado em abril de 2015, o OS da capital do Tocantins mantém um forte trabalho interno de organização e elaboração de planejamento estratégico para ir a campo realizar as ações.

A proposta, compartilhada com o grupo de Araguaína, é atuar no âmbito municipal junto à Prefeitura e Câmara de Vereadores. “A princípio, o OS de Palmas contribuirá com a troca de experiências e as lições aprendidas, mas é importante dizer que todo o apoio para implantação vem o OS do Brasil”, explicou Sundar.

Araguaína

Após o encontro, os idealizadores do Observatório Social de Araguaína já começaram a programar visitas e ações iniciais para disseminação da iniciativa junto a outras entidades como Rotary Club, Lions Clube, Maçonaria, associações comerciais e órgãos públicos de fiscalização como Ministério Público e Tribunal de Contas. “Vamos precisar de muito engajamento para começarmos a estruturar nosso próprio observatório. A partir daí, já teremos condições de iniciar as primeiras ações”, disse Ronaldo.

Observatório Social do Brasil

Presente em 105 cidades de 19 Estados, a entidade trabalha com uma metodologia própria e conta com contribuição de mais de três mil voluntários. Nos últimos três anos, o Observatório Social do Brasil estima que as ações ajudaram na economia de mais de R$ 1 bilhão para os cofres municipais.

Comentários pelo Facebook: