Promotor de Justiça acompanhará investigações de homicídios em Araguaína

Agnaldo Araujo - |
Foto: TV Anhanguera
Promotor de Justiça Paulo Alexandre Siqueira.

O Ministério Público Estadual instaurou inquéritos para acompanhar as investigações de dois homicídios e duas tentativas ocorridas no dia 14 e 25 de dezembro de 2017, em Araguaína, norte do Estado. Todas as vítimas são homens.

Um dos casos é o assassinato de Riverson Rocha da Costa, de 21 anos, no Setor Martins Jorge, próximo às margens do Córrego Neblina, no final da manhã do dia 14. Conforme apurado no dia do crime, o jovem era morador do setor São Miguel, mas teria se dirigido ao local do homicídio a convite de três supostos amigos. Enquanto conversavam, outro rapaz se aproximou e efetuou vários disparos.

Riverson ainda saiu correndo pela estrada que margeia o córrego, mas foi alvejado na cabeça e nas costas com vários disparos e morreu.

O outro caso ocorreu no dia 25 de dezembro e envolve Darlei Pereira Matos. O homem estava em sua própria casa quando foi surpreendido por três suspeitos armados e encapuzados. Os suspeitos chegaram na residência, arrebentaram a porta e imediatamente efetuaram vários disparos contra Darlei, que morreu no local.

As outras duas ocorrências que o MPE vai acompanhar as investigações são tentativas de homicídio e foram registradas no dia 25 de dezembro de 2017. Uma envolve Jailton Soares dos Santos e a outra Danilo Lima Bezerra.

Em todos os inquéritos, o MPE oficia o delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Araguaína sobre a instauração dos procedimentos e solicita informações dos fatos no prazo de 10 dias. E recomenda que caso o inquérito policial anda não tenha sido instaurado que seja feito no mesmo prazo.

Todos os inquéritos são assinados pelo promotor de justiça Paulo Alexandre Rodrigues de Siqueira, da 3ª Promotoria de Justiça de Araguaína.

VEJA MAIS

Jovem de 21 anos envolvido com drogas e roubos é executado com seis tiros

Grupo encapuzado invade residência e executa homem a tiros em Araguaína

Comentários pelo Facebook: