Em Rio Sono

Comerciante é preso por acaso após ser flagrado com espingarda e oferecê-la a policiais civis

Ele responderá por três crimes: posse de arma, resistência à prisão e corrupção ativa.

Por Redação 855
Comentários (0)

19/12/2023 17h40 - Atualizado há 3 meses
Espingarda calibre 22 de posse do comerciante.

Um comerciante de 47 anos foi preso em flagrante pelos crimes de posse irregular de arma de fogo, resistência à prisão e por corrupção ativa por tentar subornar os policiais no momento da ocorrência. O caso foi registrado nesta segunda-feira (18/12), na cidade de Rio Sono (TO).

A prisão foi efetuada por uma equipe de policiais da 79ª Delegacia de Polícia de Lizarda, comandada pelo delegado Túlio Pereira Motta. O comerciante foi identificado apenas pelas iniciais C.G.C.M.

O delegado Túlio Motta disse que a equipe policial foi até a residência do comerciante com a intenção de coletar seus dados pessoais a fim de que ele pudesse ser ouvido como testemunha em determinado procedimento. Todavia, ao chegarem no estabelecimento comercial, os policiais avistaram ao lado do balcão da recepção e próximo ao cofre, uma arma de fogo, tipo espingarda de calibre 22.

De imediato, os policiais civis deram voz de prisão em flagrante ao comerciante. “No sentido de evitar ser preso, ele inicialmente ofereceu a arma para os policiais. Percebendo que seria conduzido até a delegacia pelo delito, tentou sair apressado do estabelecimento utilizando a porta dos fundos, mas foi devidamente contido pelos policiais civis, momento em que passou a resistir à prisão. Foi necessário a utilização de técnicas de imobilização policial e uso progressivo da força com o objetivo de efetuar a prisão com a utilização de algemas”, disse o delegado.

Desse modo, o comerciante foi conduzido até à Delegacia e ao ser ouvido, disse que a arma de fogo não pertencia a ele, mas sim a um conhecido que havia deixado a espingarda no seu estabelecimento comercial para vendê-la. Diante dos atos, o comerciante foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, resistência e corrupção ativa.

Em seguida, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o comerciante foi encaminhado para a Unidade Penal Regional de Palmas, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.