Tocantinópolis

Dois jovens que mataram indígena a tijoladas enquanto dormia em calçada se entregam à polícia

Crime chocou a população da cidade devido à crueldade com que fora praticado. 

Por Redação 683
Comentários (0)

22/09/2023 08h21 - Atualizado há 6 meses
Sangue da vítima no meio da rua

A Polícia Civil do Tocantins prendeu, na noite desta quarta-feira (20), dois jovens de 18 e 20 anos, apontados como os principais suspeitos de matar o indígena David Dias Apinayé, de 29 anos, crime cometido a tijoladas na madrugada do dia 16 de setembro deste ano, em Tocantinópolis. 

A 20ª Delegacia da cidade informou que, logo após tomar conhecimento dos fatos, deu início às investigações e de posse de imagens de câmaras de vigilância, e demais indícios levantados durante o processo investigativo, foi possível identificar os dois jovens sendo os autores do bárbaro crime que chocou a população devido à crueldade com que fora praticado.

O delegado Tiago Daniel de Moraes disse que o crime teria sido cometido por motivo torpe e sem dar chance de defesa para a vítima. O indígena foi violentamente atacado enquanto dormia na calçada de uma loja na Avenida Nossa Senhora de Fátima, no centro de Tocantinópolis.

“As investigações da 20ª DP apontaram que os autores passaram pela vítima que dormia e em seguida retornaram, passando a desferir tapas e chutes no indígena, que depois de um minuto, consegue se levantar. Ele foi derrubado novamente com um chute, voltando a ser agredido no chão, até novamente, conseguir se levantar. Os investigados saem do local e a vítima saiu caminhando com dificuldade atrás deles, momento em que é novamente atacado, desta vez a tijoladas, o que efetivamente foi a causa de sua morte”, disse a autoridade policial. 

Mandado de prisão e localização

Com a identificação dos autores, o delegado Tiago Daniel representou junto ao Poder Judiciário pelas prisões temporárias dos dois indivíduos, as quais foram deferidas. “De posse dos mandados, os policiais intensificaram as diligências, no sentido de encontrar os dois homens. Sendo assim, as equipes da PC-TO foram até uma chácara na cidade de Nazaré, pois havia informações de que os dois estariam escondidos no local”, disse o delegado. 

No entanto, ambos não foram encontrados no referido local. Diante das ações da Polícia Civil, o delegado responsável pelo caso foi procurado pela advogada dos suspeitos que informou o interesse deles em se entregarem. Desta forma, os policiais civis se deslocaram, juntamente a advogada e um familiar, ao encontro deles, tendo estes se entregado e levados para a Delegacia de Tocantinópolis. 

Em interrogatório, os dois indivíduos não negaram o crime, mas alegaram que agrediram David, pois ele estaria ofendendo verbalmente eles. Diante dos fatos, os mandados de prisão temporária foram cumpridos e os dois homens recolhidos à Cadeia Pública de Tocantinópolis, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. 

Para o delegado Tiago Daniel, as prisões são fundamentais a fim de que toda a dinâmica do crime seja esclarecida. “Trata-se de um crime bárbaro, praticado com extrema violência e que teve início enquanto a vítima estava dormindo e, mesmo tendo acordado, ele foi atacado com um tijolo, não teve a menor possibilidade de se defender e acabou morrendo de forma trágica. Por isso, com a identificação e as prisões desses dois indivíduos, a Polícia Civil dá uma resposta satisfatória a toda a comunidade de Tocantinópolis e em especial aos nossos irmãos Apinajé, que ansiavam pela elucidação desse crime que causou revolta e consternação na sociedade”, disse.

Apreensão de arma de fogo 

No decorrer da diligência, os policiais civis falaram com um morador da propriedade rural, o qual afirmou que os suspeitos não estavam no local. No entanto, os agentes localziaram e apreenderam uma espingarda de fabricação caseira que estava no imóvel e, deste modo, o indivíduo acabou sendo preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. 

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.