EUA

Fim da caçada: brasileiro condenado à prisão perpétua é capturado depois de 14 dias em fuga

As buscas mobilizaram 500 policiais norte-americanos.

Por Redação 2.870
Comentários (0)

13/09/2023 09h51 - Atualizado há 8 meses
Danilo Sousa Cavalcante 

A Polícia da Pensilvânia (EUA) confirmou a captura do brasileiro Danilo Cavalcante, na manhã desta quarta-feira (13/9). Ele está condenado à prisão perpétua e havia fugido da prisão nos Estados Unidos (EUA) após assassinar a ex-companheira na frente dos filhos. Ele também responde a um processo por homicídio no Estado do Tocantins.

Foram 11 dias de caçada das autoridades norte-americanas pelo brasileiro. As buscas mobilizaram 500 policiais.

Durante esse período, a região do condado de Chester se viu em terror, porque a polícia local afirmou nas redes sociais que se tratava de uma indivíduo perigoso. Foi pedido que os moradores ficassem em casa. Além disso, escolas tiveram que ser fechadas.

Na noite de segunda-feira (11/9), Danilo chegou a trocar tiros com um morador. Ele entrou numa casa e conseguiu pegar um rifle, o que aumentou o medo na região.

Mais cedo, autoridades norte-americanas encontraram sapatos e roupas dele.

Danilo Sousa Cavalcante foi condenado em agosto pelo assassinato da maranhense Débora Evangelista Brandão, na cidade de Phoenixville, em abril de 2021. O criminoso matou a ex-companheira com 38 facadas na frente dos dois filhos da vítima, que tinham 4 e 7 anos na época do crime.

Veja também

A apuração do caso revelou que Danilo não aceitava o fim do relacionamento e que ele já havia violentado e ameaçado a vida de Débora em outras ocasiões. “Diversas vezes ela terminou com ele, e ele tentando voltar. Não sei por que ele a esfaqueou. Foi muito brutal", disse Sara Brandão, irmã da vítima, na época do crime.

Mais investigações revelaram que Débora descobriu que Cavalcante era procurado pela polícia do Tocantins por ser o principal suspeito pelo assassinato de um homem em 2017. No dia anterior à sua morte, a ex-namorada ameaçou denunciá-lo às autoridades após uma briga.

"Ao saber que o réu tinha mandado de prisão em aberto por homicídio no Brasil, a vítima ameaçou expô-lo à polícia. Os detetives determinaram que esse foi o motivo do assassinato", afirmou a promotoria responsável pela acusação em comunicado.

Segundo as autoridades, em 2017, Cavalcante fugiu para Porto Rico e, mais tarde, seguiu para os Estados Unidos, onde entrou ilegalmente.

CASO NO TOCANTINS

Danilo Sousa Cavalcante é réu em um processo criminal por homicídio cometido em Figueirópolis, na região sul do estado, em 2017. Ele foi reconhecido por parentes da vítima morta no Tocantins após ter a foto divulgada em programas de televisão.

Danilo Sousa é o principal suspeito de matar Valter Júnior Moreira dos Reis a tiros em uma praça no centro de Figueirópolis. O crime aconteceu na madrugada de 5 de novembro de 2017.

A investigação apontou que os dois estavam em uma lanchonete e Danilo teria feito seis disparos contra a vítima à queima-roupa. O suspeito ainda teria pegado o celular de Valter Júnior antes de fugir do local em um carro.

O processo sobre o crime tramita na 1ª Escrivania Criminal de Figueirópolis. Danilo Sousa responde por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, mas a ação penal estava suspensa porque o réu estava foragido.

Segundo o Ministério Público do Tocantins, o referido processo estava suspenso porque o acusado fugiu após o crime.

Depois do delito, a prisão preventiva de Danilo foi decretada, mas não havia qualquer informação de seu paradeiro até o homicídio contra a jovem ser praticado nos EUA.

Comentários (0)

Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

(63) 3415-2769
Copyright © 2011 - 2024 AF. Todos os direitos reservados.